Estes dois miúdos vendem limonada para ajudar as crianças na fronteira dos Estados Unidos

Ben e Carter aproveitaram as férias de verão para ajudar os migrantes. Em 2018 morreram, pelo menos, 283 pessoas entre o México e os EUA.

O dinheiro angariado vai servir para ajudar as crianças migrantes

Carter e Ben Wilson têm 8 e 10 anos, vivem nos Estados Unidos e decidiram abrir uma banca de venda de limonada no verão. A ideia era aproveitar a pausa escolar e fazer algo que os mantivesse ocupados durante as férias.

Segundo o “The Kansas City Star”, um jornal local, os dois irmãos decidiram avançar com a ideia depois de a mãe lhes ter dado apoio já que não queria os filhos sem uma atividade regular. Além disso, seria uma forma de as crianças perceberem mais ou menos como funciona o mercado de trabalho. 

Mas esta banca não é como as outras. Cada limonada custa um dólar (cerca de 88 cêntimos) e todo o dinheiro angariado por Ben e Carter vai servir para ajudar as crianças migrantes que estão na fronteira dos Estados Unidos, através da organização “Kids in Need of Defense“.

Segundo o pai, John Wilson, os miúdos viram notícias sobre a crise migratória entre o México e os Estados Unidos e quiseram ajudar essas crianças — apesar de não saberem exatamente tudo o que se passa ali.

“Não acho que seja necessário termos conversas profundas sobre algumas das coisas mais preocupantes sobre a crise migratória. O que eles viram nas notícias é que há crianças que precisam de assistência uma vez que cheguem à fronteira. No entanto, não é um tema do qual falemos abertamente”, explicou John Wilson à mesma publicação.

No entanto, mesmo sem saberem o que realmente se passa na fronteira dos Estados Unidos, Ben e Carter só querem ajudar as crianças a entrar no país.

Eu gostava que elas pudessem vir para os Estados Unidos legalmente, sem serem forçadas a ficar longe dos pais. Só espero que possam ter uma vida normal no país”, afirmou o pequeno Ben.

A crise migratória entre o México e os Estados Unidos têm-se agravado ao longo dos últimos tempos e tem sido fatal para quem deseja atravessar a fronteira.

De acordo com a “TSF“, mais de duas mil crianças foram separadas dos pais e, só em 2018, morreram pelo menos 283 pessoas na fronteira, segundo informa a BBC.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]