Passar muitas horas seguidas sentado no sofá durante uma maratona de séries aumenta em 50% a probabilidade de uma morte prematura. É esta a conclusão de um novo estudo realizado pela American Heart Association publicado esta quarta-feira, 26 de junho, que recolheu testemunhos de 3.592 pessoas.

Segundo escreve o tabloide britânico “Mirror”, a investigação — que contou com a participação de 3.592 pessoas — reforça a ideia de que um estilo de vida sedentário está diretamente associado ao aumento da tensão arterial e à probabilidade de uma pessoa desenvolver diabetes e obesidade. E é aqui que fica o alerta: estes fatores contribuem para o surgimento de problemas cardíacos.

Segundo os dados revelados pelo estudo, as pessoas que veem mais de quatro horas de televisão por dia aumentam em 50% a probabilidade de morrerem mais cedo do que as pessoas que veem menos de duas horas.

E há uma diferença entre fazer maratonas de séries ou estar sentado à secretária a trabalhar — já que aqui há uma probabilidade menor de consumir alimentos muito saturados.

Noites mal dormidas aumentam probabilidade de ansiedade e depressão em estudantes

“Ver televisão é uma atividade que, geralmente, acontece ao final do dia onde as pessoas podem consumir refeições maiores. É nessa altura que se podem tornar também mais sedentárias já que passam horas ininterrumptas sentadas antes de irem para a cama”, explica à Jeanette Garcia, responsável pela investigação, ao jornal britânico.

Jeanette Garcia não tem dúvidas de que “comer uma refeição pesada e estar sentado durante muito tempo pode revelar-se uma combinação muito má para a saúde.”

A explicação é simples: é que durante uma maratona de séries ou filmes, os snacks consumidos raramente são frutas ou vegetais.

“Durante o trabalho que implique estar sentado à secretária, é comum os trabalhadores levantarem-se frequentemente para tirar fotocópias, falar com os colegas ou ir para reuniões. Muito raramente se verificam casos em que estão longas horas sem se movimentarem de todo”, conclui.