A 17 de junho, a jornalista Rita Marrafa de Carvalho fez uma publicação no Twitter sobre a festa de aniversário do filho Miguel, de 8 anos, onde fez uma referência que mexeu com os ânimos nas redes sociais.

“Na festa do meu filho de 8 anos, tudo a correr e aos gritos, a espalhar batatas e M&Ms, a mexer em tudo o que não deviam, confesso que gritei “Ou param ou vou chamar os McCann!” Não me orgulho. Mas teve efeito. Pelo menos no meu. Ficou quietinho, logo”, escreveu a jornalista da RTP na popular rede social.

No seguimento desta publicação, o tabloide britânico “The Sun” citou uma fonte próxima dos pais de Maddie McCann, Kate e Gerry: “É uma coisa horrível de se dizer. Ela [Rita Marrafa de Carvalho] devia reconhecer a dor e o desgosto que eles estão a passar”.

Não, nunca foi encontrado sangue de Maddie no carro. Os maiores mitos sobre o caso

De acordo com o “The Sun”, a mesma fonte acrescentou que “sempre existiu a ideia errada de que a Kate e o Gerry foram, de alguma forma, responsáveis pelo desaparecimento da Maddie”.

Na página de Rita Marrafa de Carvalho no Twitter, que conta com mais de 52 mil seguidores, as opiniões quanto à publicação dividem-se.

Rita Marrafa de Carvalho publicou este texto a 17 de junho

Enquanto alguns criticam a postura da jornalista, mãe de duas crianças, afirmando que o tweet é “idiota” e que a mesma estaria a brincar com a possível morte de uma criança, outros reconhecem-lhe humor: “Opá acho que acordei a casa a rir, muito bom” e “à pala desta maravilha ganhaste mais um seguidor” foram alguns dos comentários deixados na página da jornalista.

Depois desta publicação, Rita Marrafa de Carvalho fez um segundo tweet: “E perceber que eu jamais deixaria filhos de 3 e 4 anos sozinhos num apartamento de férias? Custa muito? Nop”.

Madeline McCann desapareceu em maio de 2007 da Praia da Luz, no Algarve. A criança de 3 anos, na época, estava sozinha com os dois irmãos mais novos no apartamento de férias, enquanto os pais jantavam com amigos num restaurante próximo.