Alguém que tem a audácia de chamar “Sublime” a um projeto é porque tem a certeza que o que é criado vai corresponder à palavra.

Mas tendo em conta que aquilo que começou por ser uma casa para as férias da família de Gonçalo Pessoa e da mulher, Patrícia Trigo, acabou em algo capaz de vencer prémios internacionais de turismo, leva-nos a crer que a ousadia do nome não foi em vão.

Sublime Comporta

Mostrar Esconder

Morada: EN 261-1, Muda, Grândola
Telefone: 269449376 (para reservas usar o 269449397)

E nem é preciso vir alguém de fora cá dizer que somos bons, já chega disso. Basta pegar no carro, entrar na A2 e sair quando as placas dizem Grândola. A partir daí, é esquecer a cidade que ficou para trás e deixarmos que o campo tome conta de nós.

O Sublime Comporta não é para todas as carteiras, não vale a pena florear. Agora desengane-se quem acha que aqui entra numa bolha de luxo. Ainda que tudo seja pensado ao pormenor, o ambiente é descontraído e, vá por nós, deixe os saltos em casa. A areia aqui pede chinelo no pé e roupas leves que, afinal, estamos no Alentejo.

7 fotos

A tal casa de férias cresceu e, agora, aberta a todos, oferece 23 quartos e suites, 22 villas que vão do T2 ao T5, além de apoios importantes como é o caso do restaurante, da loja de produtos locais e de uma cabana pensada para as aulas de ioga.

Sublime Comporta. As novas villas incríveis que tem de descobrir este verão

Em maio, ganhou nove suites especiais, as Bio Pool Suites (com preços desde 300€/noite) todas construídas de frente para uma das maiores piscinas biológicas da Europa. Quando dizemos de frente, é mesmo de frente. Pode, literalmente, mergulhar da varanda. Não se assuste é se lhe aparecer uma enguia ou uma rã. É que aqui o biológico não é só um selo da moda. Para o tratamento da água não são usados químicos e essa responsabilidade é entregue às plantas aquáticas. Estamos assim perante um ecossistema vivo.

Vida essa que não para de crescer também fora de água. Um dos mais recentes projetos do Sublime passa por alargar o jardim orgânico que conta já com mais de 300 variedades de plantas,desde ervas aromáticas, vegetais e flores comestíveis, todas usadas nas cozinhas dos três restaurantes do Sublime e também nos tratamentos de spa.

Ana Marques, que faz de mestre de cerimónias do jardim, explica aquilo que os nossos olhos leigos deixam escapar. “Visto de cima, o jardim está pensado como se fosse uma paleta de pintor”, salienta. E, de facto, rapidamente reparamos que existem pequenas ilhas verdes com diferentes temáticas, uma com cítricos, outra para os picantes. Há ainda a dos balsâmicos, a dos doces e a das flores. Sabia que os brincos de princesa se podem comer? Pois, nós também não, e, por isso, provámos de tudo assim que nos sentamos na Tasca da Comporta para jantar e percebemos que tudo o que é verde vem daquele jardim.

Este novo restaurante abre apenas nos meses de verão e serve comida portuguesa. A pensar no tempo quente e nos fins de dia depois da praia, o chef Tiago Santos criou uma lista de petiscos da qual fazem parte pratos como o choco frito, camarão ao alho, ostras, amêijoas à Bulhão Pato, queijos e enchidos. Há ainda pratos mais compostos como a açorda alentejana de bacalhau, o arroz de peixe e mariscos ou a cabidela.

Portugal não foi esquecido nas sobremesas, até porque delas fazem parte a sericaia, o arroz doce e o leite creme.

Sublime e sustentável

Já tínhamos reparado no papel higiénico feito de papel reciclado, nas garrafas de vidro a substituir as de plástico e até nas palhinhas de metal oferecidas com cada cocktail pedido no bar.

É precisamente nestes pequenos pormenores que se nota a preocupação cada vez maior em oferecer conforto, é certo, mas também a certeza de uma estadia com um menor impacto ambiental.

Guerra de Praias #02. A Praia da Comporta é a melhor do mundo

Existem painéis solares para aquecimento da água, do piso radiante e da piscina. Além disso, o hotel é autónomo em relação à água potável e à rega e apoia-se na utilização de carros elétricos, oferecendo pontos de carregamento no parque de estacionamento.

Todo o lixo e óleos alimentares são reciclados e existe uma usina de compostagem que permite a obtenção de
um substrato – através da transformação de resíduos orgânicos, juntamente com aparas de jardim – para aplicação hortícola. Ana Marques, quando nos fazia o tour pelo jardim, já nos tinha chamado a atenção para uma abóbora que inesperadamente tinha nascido ao pé das alfaces, tudo graças à mistura de composto. E garante: “A natureza aqui dá-nos supresas todos os dias”.

* A MAGG ficou alojada a convite do Sublime Comporta