Assim que as crianças deixam o leite para passar a comer alimentos sólidos, os pais dão início a uma batalha: há que reunir todos os esforços para que a criança evite provar açúcar. É que assim que o doce lhes chega à boca, o difícil vai ser tirar.

Talvez por isso, são muitos os truques parentais usados para fintar esta ligação intrínseca entre a criança e a sobremesa.

As explicações eram simples: as gomas estragavam os dentes e as pastilhas, quando engolidas, duravam até sete anos no estômago. E foi com estas ideias que crescemos. Se a primeira ideia não está errada, o mesmo já não se pode dizer da segunda. Afinal, é mesmo mito que uma pastilha demore tanto tempo a ser digerida no estômago.

Será o desinfetante o melhor para limpar bem as mãos?

Não é que seja fácil para o organismo digerir uma pastilha, mas isso não quer dizer que ela fiquei um par de anos na barriga. Significa sim que a digestão não é imediata, exatamente como acontece com a maior parte da comida sólida que ingerimos.

Devido à sua fraca componente nutricional, o processo de digestão da pastilha pode demorar um pouco mais do que os restantes alimentos. E não, não falamos de sete anos – provavelmente a pastilha sairá do seu corpo ao fim de sete dias.

Como este mito, existem mais 19 que reunimos para deitar abaixo todas aquelas crenças que julgávamos ser lei. Não, não é verdade que ver televisão perto do monitor faz mal aos olhos ou que estalar os dedos faz artrite.

19 fotos