Muitos foram os amores proibidos ou interrompidos durante as guerras. Uns sem volta, outros com finais felizes. E este, além de feliz, chega numa altura em que já poucos acreditavam ser possível.

KT Robbins tinha 24 anos quando foi para Briey, no Norte de França, e conheceu Jeannine Ganaye, de 18 anos. Rapidamente se apaixonaram, mas dois meses depois, com a ida do soldado americano para a Frente Oriental, foram obrigados a separar-se e nunca mais se viram.

Mas não foi por isso que se esqueceram. Ambos casaram e seguiram outros caminhos, mas KT Robbins manteve sempre uma fotografia de Jeannine Ganaye com ele. Fotografia essa que mostrou a jornalistas do canal de televisão francês “France 2“, que faziam uma reportagem sobre os veteranos da Segunda Guerra Mundial, a quem também admitiu a vontade de rever esta paixão antiga.

50 fotografias que contam a história do Dia D

A equipa de jornalistas procurou Jeannine e encontrou-a num lar, com 92 anos. O soldado foi imediatamente para lá e o reencontro foi filmado pelo canal. Mais de 75 anos depois da última vez em que se viram, confessaram nunca ter esquecido o outro. “Sempre te amei”, disse KT Robbins, agora com 98 anos.

Jeannine Ganaye confessou ainda ter chorado muito quando o viu partir e que desejava que nunca tivesse voltado para os Estados Unidos depois da guerra. A mulher francesa chegou até a ter aulas de inglês, na esperança de que o soldado americano voltasse.

Depois de algumas horas juntos, e de uns quantos abraços e beijos, voltaram a separar-se, mas com a promessa de que se voltariam a ver em breve.