Foi talvez um dos momentos mais constrangedores a circular nas redes sociais desde quinta-feira, 6 de junho. Falamos do vídeo que envolveu Beyoncé, Jay-Z e Nicole Curran, uma mulher que, até então, era desconhecida para muitos.

O vídeo, que começou a circular no Twitter e que foi um dos tópicos mas comentados da rede social, mostra a mulher a falar com Jay-Z durante uma das finais do campeonato de basquetebol de NBA. Depois de Beyoncé ter revelado no seu último disco que o marido a tinha traído, os fãs não demoraram até fazer memes com o que tinha acontecido.

É que, segundo os comentários que foram surgindo, a artista parecia pouco contente com Nicole que teve de se aproximar de ambos para poder falar com o rapper Jay-Z. Como é já habitual das polémicas que surgem nas redes sociais, foram vários os fãs que pediram respeito a Nicole — insinuando, sem fundamentos, que estaria a tentar seduzir o cantor.

Novo documentário de Beyoncé. “No meu útero, o coração de um dos bebés parou algumas vezes”

A atenção que o vídeo recebeu foi tal, que a mulher chegou mesmo a ser incentivada a matar-se. Isto obrigou-a a reagir publicamente através de uma publicação na sua conta de Instagram, que entretanto já desativou.

“Reparem, eu respeito a rainha B [Beyoncé]. Admiro-a mesmo muito. Só falei com o marido dela por duas vezes naquela noite. Em primeiro lugar, para saber o que queriam beber naquele momento. Depois quis explicar-lhe porque é que tinha dado uma rosa de um fã à mulher dele. Tudo isto foi tirado de contexto. Sou uma mulher casada e vocês estão a dizer que me deveria matar. Sinto que nem a Beyoncé iria aceitar isto”, respondeu.

Ao canal de desporto ESPN, Nicole voltou a confirmar que Beyoncé e Jay-Z estavam ali como convidados de Joe Lacob, o marido, que é dono da equipa Golden State Warriors. E reforçou que toda a conversa entre ela e Jay-Z foi totalmente inocente.

“Não houve qualquer tipo de hostilidade, estava apenas a tentar ser uma boa anfitriã. Nunca fui vítima de cyberbullying e ainda não consigo acreditar que os nossos jogadores e os nossos jovens têm de passar por isto à medida que vão crescendo”, lamentou.