A Apple acabou com o iTunes. Mas o que vai acontecer à sua música e filmes antigos?

A aplicação foi substituída por três novas e vai continuar a ser possível sincronizar todos os equipamentos. Saiba o que vai mudar.

A nova atualização para computadores Mac é gratuita e chega em meados de setembro

REX

O fim do iTunes era inevitável e foi confirmado na segunda-feira, 3 de junho, durante a última conferência da Apple dedicada a programadores. Durante a Worldwide Developers Conference, que aconteceu na Califórnia, Estados Unidos, a multinacional tecnológica anunciou as novidades para os sistemas operativos de iPhone, iPad, Apple Watch, Apple TV e Mac — onde a aplicação do iTunes vai desaparecer, dando lugar a três outras.

Apesar de sempre ter sido uma aplicação problemática e pouco intuitiva, nos últimos anos englobava vários serviços desconexos que pediam aplicações separadas.

O iTunes acabou por se tornar numa biblioteca de música e podcasts, numa loja de filmes e música e num portal para interagir com o serviço de streaming da Apple Music. Além disso, ainda permitia sincronizar e fazer backups de outros equipamentos do ecossistema.

Com a nova atualização para computadores Mac, com lançamento previsto para meados de setembro, o iTunes vai deixar de existir e vai ser substituído por três novas aplicações: Apple Music, Apple TV e Podcasts.

O que é que vai acontecer às músicas e filmes que tinha no iTunes?

Se é daquelas pessoas que, ao longo dos anos, armazenou filmes e discos de música (mesmo que tenham sido obtidos ilegalmente), a boa notícia é que vai continuar tudo guardado — só que nas aplicações específicas.

Enquanto os filmes vão estar na aplicação da Apple TV, as suas músicas vão estar na da Apple Music. E é lá que vai poder gerir toda a sua biblioteca.

A sincronização com todos os equipamentos Apple vai continuar a ser possível, mas através de uma das três aplicações.

A nova atualização para computadores Mac é gratuita e vai ser compatível com modelos de MacBook lançados a partir de 2012.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]