Quem é que sabe tudo o que se passa na televisão portuguesa? Quem é aquela pessoa que reconhece todas as personagens da novela, tem noção de todas as tramas, vibra com os apresentadores da manhã e não perde pitada do que se passa à tarde?

A avó, claro. A avó adora os canais generalistas (confessa-nos esta avó que é fã de Cristina em particular) e é uma verdadeira enciclopédia no que diz respeito à televisão portuguesa. Maria Fernanda Simões tem 75 anos e é a autora da rubrica da MAGG, “A Avó Explica”. Todas as semanas, é ela quem nos conta o que de mais interessante aconteceu na televisão.

Este é o seu oitavo texto.

A semana que passou foi farta em conteúdos interessantes que me fizeram estar pregada à televisão. O primeiro foi a presença de dois dos três embaixadores portugueses da Magnum, a Lili Caneças e Carolina Loureiro, em “O Programa da Cristina”. A elas juntou-se Rui Maria Pego e os três representaram o nosso País em Cannes. Essa conversa deu o mote para a arrumação do frigorífico e congelador, a qual achei bastante útil. Fiquei a saber que é possível arrumar um gelado no congelador, daqueles individuais, mesmo que se tenha comido só metade, desde que bem acondicionado.

Por falar em comida, gostei muito do dia à italiana no mesmo programa. Apareceram várias famílias italianas que falaram sobre a gastronomia do país com uma mesa de fazer crescer água na boca. Foi um segmento italiano autêntico que teve direito a pessoas a fazer pizza e a fazer girá-la no ar. Achei muito divertido. Devo ainda mencionar um tiramisù que me deixou colada à televisão de tão bom aspeto que tinha.

Cristina e um pizzaiolo

Passando da SIC para a TVI, tenho de destacar três assuntos que cativaram a minha atenção. O primeiro foi a conversa com a Márcia D’Orey, a verdadeira mulher dos sete ofícios, no “Você na TV”. Queria ser bailarina e, com 11 anos, foi para uma escola para conseguir seguir o seu sonho. Uma lesão por excesso de esforço levou a que se afastasse da dança e enveredasse pelo mundo da maquilhagem.

Foi maquilhadora de moda durante 15 anos e acredita que esta passagem foi algo natural — afinal, para as aulas de dança precisava de se apresentar bem maquilhada. Entretanto engravidou, teve duas filhas, sendo que a primeira tem síndrome de Asperger. Agora, está prestes a lançar um livro com todos esses aspetos da sua vida. Fiquei curiosa.

Outra conversa muito interessante e elucidativa aconteceu no mesmo programa entre o Sheik David Munir e o Padre António Vaz Pinto, sobre a religião muçulmana e a cristã. Entre muçulmanos e cristãos existe uma coisa em comum, as bases são semelhantes. Ambos acreditam num só Deus, a diferença é que os muçulmanos acreditam que Maomé foi o último profeta. Como católica que sou, achei a conversa muito esclarecedora e interessante. Acho que cada um deve ouvir, meditar e tirar as suas próprias conclusões.

A Avó Explica. Como sempre, acompanhei a emissão do dia de Nossa Senhora de Fátima

Gostei ainda de um apontamento que a Maria Cerqueira Gomes fez sobre a igreja católica. Confirmou que acredita em Deus e é cristã, mas que não acredita nas pessoas que representam a igreja. Eu chego à conclusão de que há muita gente a pensar assim, eu incluída.

Passando para um assunto mais leve, mas não menos importante, devo destacar a conversa que o Quintino Aires teve sobre os telemóveis e os jovens. Disse que os pais só devem dar telefones aos filhos aos 18 anos. Eu não concordo que seja tão tarde, mas também não acho correto passar um telemóvel para a mão de uma criança. O Quintino diz que nas poucas horas que os jovens estão em casa tem que haver diálogo e interação, e que atualmente isso já não acontece por causa dos telemóveis. Este meio de comunicação serve ainda como escudo: as pessoas usam-no para dizer coisas que não têm coragem de dizer pessoalmente. Eu não poderia concordar mais com esta leitura.

O último apontamento vai para a novela “Valor da Vida” que já terminou. Como era de esperar, tudo se resolveu no último episódio. Eu gostei, mas a personagem Camilla teve um final inesperado para mim. Por ser chefe de uma organização de tráfico de órgãos acreditava que alguém a matasse, mas ela acabou por tirar a própria vida.

A Avó Explica. Adoro viajar pelo mundo com as novelas da TVI

Achei as últimas cenas da novela engraçadas, uma vez que terminou com uma cerimónia em homenagem ao Artur na sua fazenda no Brasil. A personagem acabou por morrer, mas os familiares reuniram-se e houve uma distribuição de um livro que contava a história de vida do mesmo. Gostei muito.

Tenho de terminar com a satisfação que o meu Sporting me deu. No sábado ganhou a Taça de Portugal e proporcionou-me momentos únicos, mas também de grande nervosismo. Fiquei muito feliz, porque afinal de contas o Sporting é o nosso grande amor!

Até para a semana.