Um parque de atrações norte-americano, localizado no Tennessee, está a gerar uma onda de críticas depois de ter confirmado que vai abrir uma exibição baseada no acidente fatídico que causou a morte da princesa Diana a 31 de agosto de 1997.

O acidente de viação que vitimou a princesa do povo e o namorado egípcio Dodi Al-Fayed será recreado em 3D no museu imersivo National Enquirer Live, um espaço focado na história dos tabloides norte-americanos e nas histórias mais obscenas das celebridades.

Os criadores acreditam que “definitivamente que [a exposição] não é de mau gosto”. “Não há sangue. Não há nada dessas coisas. As pessoas vão ver o acidente através de animação de computador”, disse Robin Turner, um dos principais investidores do museu, ao “The Independent”.

Diana morreu há 21 anos. As 26 fotos que ajudaram a fazer da princesa um ícone de estilo

Ao “The Daily Beast” acrescentou que a exibição está projetada para que as pessoas conheçam os edifícios e as ruas de Paris na apresentação 3D. Vai mostrar-se o caminho que a Diana percorreu desde o hotel Ritz, onde estava hospedada, até à perseguição dos paparazzi, e irá ser mostrado ainda o flash que se pensa ter cegado o condutor.

A exposição “irá apenas apresentar a rota do que aconteceu. Para as pessoas que nunca tiveram em Paris, irá mostrar a topografia, as distâncias, o túnel, e esse tipo de coisas. Está feito de uma maneira muito profissional”, afirma Turner à mesma publicação.

Depois da exibição, os visitantes vão ser questionados sobre as várias teorias da conspiração numa votação presente no museu. Uma das mais fortes é a crença de que a princesa do povo poderia estar grávida e que o palácio de Buckingham a terá mandado matar.

Sobre o que a família real britânica poderá pensar, Robin Turner apenas refere que espera que não fiquem ofendidos: “É difícil dizer. Sei que é um assunto muito delicado. Mas não há nada de novo nesta apresentação”. “É feito de uma maneira positiva”, ressalva. “Chama a atenção para as diferentes teorias sobre o acidente, as quais o ‘Enquirer’ cobriu antes”.

Diana morreu há 21 anos. As 10 maiores polémicas e curiosidades da vida da princesa

O ex-porta voz da princesa, Dickie Arbiter, disse ao “The Independent” que a exibição é “de muito mau gosto”. “Não a chamaria de uma atração, diria antes que é de muito mau gosto. Mau gosto não é suficientemente forte para descrever o que aquilo é”, disse Arbiter.

Acrescentou ainda que William e Harry ficarão “muito ofendidos” por a morte da mãe estar a ser transformada em entretenimento: “Qualquer pessoa decente ficaria ofendida com uma coisa dessas”.

Para além da recreação do acidente de viação que levou à morte de Diana, o museu também conta com réplicas da cena do crime que vitimou a ex-mulher de OJ Simpson, Nicole Brown, e da cena em que Michael Jackson segura o seu terceiro filho numa varanda de hotel. Outras partes do museu focam-se nas teorias da conspiração da morte do presidente John F. Kennedy e nas fotografias do cadáver de Elvis Presley.