Há uma proposta inovadora para recuperar o telhado da Catedral de Notre-Dame, em Paris, França, que desapareceu depois do incêndio devastador de 15 de abril de 2019. A ideia da empresa sueca Ulf Mejergren Architect é que se coloque uma piscina no topo de catedral, no lugar do telhado.

A proposta surge enquanto a França se prepara para lançar um concurso internacional para recuperar o telhado e o pináculo do monumento e, de acordo com o “The Guardian”, o presidente francês Emmanuel Macron, já terá deixado claro que o projeto de renovação pode ter elementos contemporâneos, e que o objetivo é que fique ainda “mais bonito do que era”.

Também o primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, deseja ver um pináculo “adaptado às técnicas e aos desafios da era atual”, mas as ideias que já foram tornadas públicas, como esta da piscina exterior, não parecem agradar aos franceses mais tradicionais.

A maldição do número 15. Tragédias que atingiram monumentos históricos neste dia

Para além desta alternativa inovadora, o estúdio de arquitetura Studio NAB propôs uma estufa verde gigante, outros sugeriram um parque e o arquiteto britânico Norman Foster gostaria de ver uma pirâmide de cristal e aço no telhado da catedral.

No entanto, também há quem defenda que Notre-Dame deve ser reconstruida tal e qual como era antes do incêndio de abril: “O restauro da catedral deve respeitar as técnicas da era em que foi construída, com respeito pela harmonia gótica que resulta da combinação do esforço das pessoas que a edificaram e dos materiais usados, como madeira, pedra, ferro e vidro. Temos de respeitar o espírito desse trabalho. O período gótico foi um ponto alto da arquitetura. Se isto [reconstrução da catedral] for bem feito, o gótico vai durar mais mil anos”, disse o mestre em arquitetura medieval Florian Renucci, citado pelo “The Guardian”.