A Global Drugs Survey, responsável pelos estudos mais completos sobre o consumo de drogas no mundo, concluiu que é nos países que têm o inglês como língua oficial que os cidadãos mais se embebedam por ano. No primeiro lugar da lista está o Reino Unido.

Segundo o estudo, apresentado esta quarta-feira, 15 de maio, os britânicos embebedam-se, em média, cerca de 51 vezes durante um ano, e quase uma vez por semana. Os dados recolhidos em mais de 36 países dizem que a média global é de 33 episódios de excessos.

Dentro de alguns anos vai poder beber sem ficar de ressaca

Os resultados foram apresentados depois de os investigadores do estudo terem recolhido informações de mais de 174 mil pessoas espalhados por Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e o resto do mundo.

Mas embora o Reino Unido seja considerado o país como uma taxa de alcoolismo bastante elevada, seguem-se os Estados Unidos e o Canadá onde os cidadãos se embebedam cerca de 50 e 48 vezes por ano, respetivamente.

Portugal está em penúltimo lugar da lista e assume-se como um dos países onde as pessoas bebem até ao limite apenas 22 vezes por ano. Em último lugar está o Chile onde a média é de quase 17 vezes por ano.

Ao tabloide britânico “Daily Mail”, Adam Winstock, um dos investigadores e fundador Global Drugs Survey, diz que apesar de haver menos pessoas a beber, há também “muitas outras que o continuam a fazer e de uma forma nociva para a saúde.”

“Dizem-nos muitas vezes que beber faz mal, e de facto faz. Mas as atuais medidas não explicam a diferença entre estar um bocadinho ou muito bêbado, ou a diferença que é estar três a quatro vezes por semana a estar nesse estado semanalmente. Temos de ter esta conversa urgentemente”, continua.

A ressaca fica mesmo pior com a idade?

No entanto, a verdade é que este estudo vem agora contrariar um outro publicado na semana passada que comprovava que os britânicos estão a beber menos álcool do que há dez anos.

“Muitas outras investigações de organizações conceituadas, como a que foi publicada Organização Mundial de Saúde, mostram que a taxa de consumo de álcool no Reino Unido tem decaído de década para década e muitos dos cidadãos estão a beber menos do que os nossos vizinhos europeus”, revelou uma fonte da Alcohol Information Partnership, uma organização britânica que promove o debate sobre o álcool no Reino Unido, à mesma publicação