Tem malas de marcas de luxo que não usa? Troque-as por crédito na Fartfetch

A plataforma de marcas de luxo está a apostar numa estratégia sustentável. O novo serviço está disponível a partir desta segunda-feira.

O novo serviço está disponível numa nova plataforma e aceita, numa primeira fase, carteiras de 27 marcas diferentes

Houve um dia da sua vida em que achou que era boa ideia dar umas centenas de euros por uma carteira que jamais iria utilizar. Desde então, ela jaz sossegada e imaculada junto das outras, mas está a ocupar-lhe espaço e vale dinheiro.

Chegou a Farfetch Second Life para solucionar o desperdício. O programa de revenda de artigos de luxo foi lançado esta segunda-feira, 13 de maio, pela plataforma digital global Farfetch (fundada pelo português José Neves em 2007) em parceria com a Dream Assembly (um programa de aceleração tecnológica, lançado em 2018).

Como é que tudo se processa? Muito simples: os utilizadores devem, no novo site, submeter informações e fotografias das carteiras que querem colocar à venda. De seguida, o parceiro da Farfetch irá avaliar e fazer uma proposta de preço no espaço de dois dias úteis. Caso o valor seja aceite, é agendado um serviço de recolha e verificação do artigo. De seguida, o dinheiro da revenda é adicionado, na totalidade, à conta do cliente (não tem de dar nenhuma percentagem), de forma a poder ser utilizado em compras na Farfetch.

O serviço já está disponível no Reino Unido e noutros mercados europeus (exceto Suíça, Islândia ou Noruega), aceitando-se a revenda de carteiras de 27 marcas diferentes: Alexander McQueen, Balenciaga, Bottega Veneta, Burberry, Bvlgari, Cartier, Celine, Chanel, Chloé, Dior, Dolce & Gabbana, Fendi, Givenchy, Gucci, Hermès, Loewe, Louis Vuitton, Maison Goyard, MCM, Miu Miu, Mulberry, Prada, Salvatore Ferragamo, Stella McCartney, Valentino, Versace e YSL.

Aceitam-se itens com pequenas manchas no interior, desbotadas ou manchadas, com pequenos arranhões, fios soltos, marca de água em couro ou com a forma ligeiramente alterada. Material rasgado, completamente deformado, com furos, extremamente descolorado, rasgado nas alças ou com fechos danificados, não serão aceites, assim como material dos funcionários, amostras enviadas para a imprensa ou ainda sacos com monogramas ou personalização artística.

O novo serviço faz parte do Positively Farfetch, uma nova área da empresa que aposta num negócio sustentável, que, em conjunto com as marcas parceiras, tem como objetivo encontrar soluções e reinventar a industria de moda, de forma a beneficiar tanto as pessoas, como o planeta.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]