Vem aí mais um filme sobre um serial killer. Depois de Bundy chegou a vez de Charles Mason

O filme realizado por Mary Harron tem estreia marcada para dia 17 de maio.

Charles Mason liderou a seita Mason Family, nos Estados Unidos

IMdB

Depois da estreia do documentário da Netflix “Conversations with a Killer: The Ted Bundy Tapes” e do filme “Extremamente Perverso, Escandalosamente Cruel e Vil“, a vontade de saber mais sobre este mundo dos serial killers ganha mais força.

Depois de conhecida a história de Ted Bundy, está a chegar o filme “Charlie Says“, que conta a história de outro assassino norte-americano. Charles Mason viveu entre 1934 e 2017 e liderou uma seita conhecida como Manson Family na Califórnia, nos Estados Unidos, a partir de 1967.

De acordo com a revista “Women’s Health“, Charles ficou conhecido por incentivar mulheres a praticar crimes em seu nome. Em 1969 terá assassinado a atriz Sharon Tate, segundo a CNN.

O filme, realizado por Mary Harron, conta a história desta seita, tendo por base os testemunhos das mulheres que pertenceram à Mason Family. Segundo o “The New York Times“, o filme foca-se na história de três mulheres que idolatravam Charles (Matt Smith) e faziam tudo ele sugeria.

Esta biografia conta com Hannah Murray (“A Guerra dos Tronos”), que interpreta o papel de Leslie Van Houten, uma das seguidoras do assassino. O trio fica completo com Susan Atkins (Marianne Rendón) e Patricia Krenwinkel (Sosie Bacon).

“Charlie Says” estreia-se nas plataformas digitais na próxima sexta-feira, dia 17 de maio, depois de já se ter estreado mundialmente no Festival Internacional de Cinema de Veneza, no ano passado.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]