Lily Collins garante ter sido assombrada pelos fantasmas das vítimas de Ted Bundy

A atriz de “Extremamente Perverso, Escandalosamente Cruel e Vil” conta que sentiu o apoio dos espíritos das mulheres assassinadas.

Lily Collins tem 30 anos e é natural do Reino Unido

IMDB

Confessou ter assassinado 30 mulheres (embora o número real de vítimas nunca tenha sido confirmado) e é um dos assassinos em série mais conhecidos da história dos Estados Unidos. De tal forma que a personalidade misteriosa e carismática de Ted Bundy já deu azo a várias adaptações tanto ao cinema como a documentários.

O mas recente filme baseado na história do norte-americano é “Extremamente Perverso, Escandalosamente Cruel e Vil”, uma produção da Netflix que conta com Zac Efron no papel de Ted Bundy e Lily Collins como Elizabeth Kloepfer, a ex-namorada do criminoso, que escreveu o livro de memórias “The Phantom Prince: My Life with Ted Bundy”, obra que deu o mote a esta adaptação.

Durante os anos 70, altura em que Ted Bundy cometeu os crimes, o assassino manteve uma relação com Elizabeth Kloepfer, que nunca acreditou que o namorado fosse culpado. O papel de Elizabeth foi um desafio para a atriz Lily Collins, mas esta garante que recebeu um selo de aprovação muito especial — de acordo com a atriz, os fantasmas das vítimas de Bundy assombraram-na durante as gravações do filme, mas deram-lhe luz verde para continuar.

Ao jornal “The Guardian”, Lily Collins contou que começou acordar às três horas da manhã todas as madrugadas: “Levantava-me da cama, ia até à cozinha fazer um chá e tentava perceber o porquê de estar a acordar novamente. Despertava com flashes de imagens na cabeça. Descobri depois que as três da manhã é a hora em que a barreira entre os domínios é mais fina e ambos podem ser visitados”.

A atriz revelou ainda, à mesma publicação, que acredita ter sido contactada por espíritos. No entanto, tal não foi uma experiência assustadora ou traumática, e Lilly Collins garante não ter sentido medo, mas sim o apoio das mulheres assassinadas por Ted Bundy.

“Não me senti assustada — senti-me apoiada. Achei que me estavam a dizer algo como ‘estamos a ouvir, obrigada por contares a nossa história'”, declarou a atriz.

“Extremamente Perverso, Escandalosamente Cruel e Vil” estreia-se nas salas de cinema portuguesas a 16 de maio.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]