Abacate, o fruto com menos açúcar e mais gorduras boas, um amigo do pequeno-almoço, do lanche ou até das refeições principais, porque vai bem em batidos, saladas ou até wraps. Além de invadir as cozinhas, os blogues e as receitas, este alimento é também um tendência e por isso é vê-lo estampado em meias e T-shirts porque, além de super saudável, é giro, não podemos negar.

Só que para tudo há um lado negro. Além da quantidade de água necessária para o produzir, há ainda o problema dos cartéis no México (país que exporta mais de metade dos abacates consumidos no mundo), que, reconhecendo a popularidade do fruto, estão a extorquir dinheiro aos produtores. Por último, há ainda as vítimas daquilo a que já se deu o nome de “avocado hand” (mão de abacate), grupo do qual a atriz Meryl Streep fez parte, em 2012. Acontece que muita gente se tem vindo a cortar gravemente na mão no momento de lhe retirar o caroço, com a ajuda da faca. Há tantos casos em Inglaterra (uma mulher chegou mesmo a cortar uma artéria), que a British Association of Plastic, Reconstructive and Aesthetic Surgeons sugeriu que se incluísse um alerta nos abacates que vêm embalados.

Aproveite o abacate enquanto pode, já há cafés a bani-lo do menu

Pois bem. Para este último problema dos abacates, já há proposta de solução: o Avocado on Stick, uma espécie de desodorizante roll-on de onde sai uma pasta verde (supostamente de abacate), para barrar no pão ou onde quer que seja. O vídeo da apresentação do produto foi partilhado no Facebook e Instagram do projeto de humor Unnecessary Inventions (que, como o nome indica, dá sugestões de invenções desnecessárias). A maioria das reações foi de repulsa e, por isso, não sabemos se esta piada algum dia passará a ser presença real nas prateleiras de supermercado.

Ana Bernardino

“Adoro abacates mas isto não é aceitável. Se ao menos a Mãe Natureza desse ao abacate a sua própria embalagem. Ah, espera, ela dá. E demora cinco segundos a abrir. Isto põe a preguiça noutro nível”, pode ler-se.

“Adoro abacate, mas isto é repugnante”, disse outra seguidora da página. “De alguma forma, um dia, eu sei que vou acabar com abacate nas minhas axilas se comprar isto.”

A ideia do produto passa também por evitar o tempo de oxidação rápido do fruto (não sabemos bem como), assim como ajudar a poupar tempo. Mas não. A opinião é praticamente unânime: deem-nos abacates com a casca e o caroço, por favor.