O WhatsApp pode voltar a mudar e promete não agradar a muita gente. Numa nova versão de teste da aplicação, está a ser testada a impossibilidade de se fazer captura de ecrã (ou print) de uma conversa. O objetivo parece ser o de proteger o direito à privacidade dos utilizadores que usam o serviço diariamente.

Esta opção foi descoberta pela “WABetaInfo”, uma plataforma dedicada a mostrar as novidades da aplicação que foi comprada pelo Facebook em fevereiro de 2014.

Usa o WhatsApp diariamente? Prepare-se: estão a chegar vários anúncios de publicidade

A ser implementada, a funcionalidade vai permitir também bloquear o acesso ao WhatsApp através da leitura da impressão digital ou da tecnologia de reconhecimento facial.

Isto significa que a aplicação só vai poder ser aberta pelo dono do telemóvel, mas implica também que a captura de ecrã de uma conversa vai deixar de estar disponível.

No entanto, uma vez ativada por um utilizador, este também não vai poder tirar um print de outras conversas. No fundo, a ideia é que a opção funcione um pouco à semelhança do que acontece com o sistema de recibos de leitura das conversas: se não quiser que as pessoas com quem fala saibam quando lê mensagens que lhe enviam, o inverso também acontece e deixa de saber quando o leem.

Aos 64 anos a minha mãe recebeu o seu primeiro smartphone. Saiba como vai esta relação

Na versão de teste disponível até à data deste artigo, a funcionalidade é totalmente opcional e só está disponível em equipamentos Android. No entanto, espera-se que, caso seja implementada, também seja compatível com iPhone.