O eBay é uma daquelas plataformas onde há quase tudo à venda, desde telemóveis até calças de ganga. Graças a Alan Detrich, porém, o caráter multifacetado do site foi levado ao extremo quando este caçador de fósseis decidiu vender um T-Rex bebé por cerca de 2,6 milhões de euros.

A história remonta a 2013, quando o caçador de fósseis Alan Detrich encontrou, em Montana, nos Estados Unidos, um esqueleto de uma cria de T-Rex que deverá ter mais de 68 milhões de anos. Depois dessa descoberta, Alan decidiu emprestar o fóssil ao Museu de História Natural da Universidade do Kansas, em 2017.

De acordo com o jornal “The Guardian”, esse fóssil poderia ajudar os investigadores a perceber se os pequenos tiranossauros que habitaram na América do Norte eram crias ou uma espécie diferente. Acontece que o caçador de fósseis decidiu vender o seu T-Rex bebé na internet, muito antes de conseguirem realizar algum estudo.

“É possivelmente o único bebé de T-Rex no mundo”, pode ler-se no anúncio do eBay onde o fóssil se encontra à venda.

Não contente com a atitude de Alan Detrich, a Sociedade de Paleontologia de Vertebrados já se pronunciou sobre o assunto. Numa carta aberta, publicada na semana passada e citada pelo “The Guardian”, a organização deixou duras críticas à Universidade do Kansas por ter exposto o fóssil antes do mesmo ter sido estudado.

“Isso chamou a atenção de centenas ou milhares de visitantes, o que potencializou seu valor comercial. Os museus raramente têm orçamento para comprar esses espécimes colecionados que estão cada vez mais caros“, escreveu a Sociedade de Paleontologia de Vertebrados.

Face a estas críticas, e de acordo com a “CNBC”, o Museu de História Natural afastou qualquer ligação ao caso. “Removemos o fóssil que estava em exposição e devolvemo-lo ao seu proprietário”, afirmou o diretor do Instituto de Biodiversidade da Universidade do Leonard Krishtalka.

“Solicitamos que o proprietário remova qualquer associação com a nossa instituição do seu anúncio online”, acrescentou.

Até ao momento o anúncio já foi visitado por mais de 3.500 pessoas, mas ainda ninguém manifestou interesse em adquirir o fóssil.