Estreou a 21 de outubro de 2018, na SIC, e revelou-se um sucesso de audiências. Durante quase dois meses, 12 concorrentes tentaram a sua sorte no amor: um conjunto de profissionais juntou cada casal com base nas suas preferências, gostos e valores. Supostamente esta fórmula garantia que cada casal fosse perfeito um para o outro, mas na realidade todos os casamentos acabaram em divórcio.

Agora que as candidaturas para a segunda temporada estão abertas, a MAGG foi tentar perceber junto de alguns concorrentes do “Casados à Primeira Vista” o que mudou na vida depois do programa. Há quem garanta que continua tudo igual, há quem afirme que o programa ajudou na componente profissional. Descubra como está a vida de Isabel Fonseca, João Fernandes, Daniela Guilherme e Francisco Gouveia.

Isabel Fonseca

Isabel Fonseca trocou os CTT pelo tarot

Depois do programa, a vida de Isabel mudou em dois aspetos: popularidade e a mudança de trabalho. “Somos conhecidos quando estamos na rua e naturalmente isso é notório”, explica à MAGG. No espetro profissional, iniciou dois projetos: um de comida saudável e outro de tarot. Este último era feito como hobby, nos intervalos do seu trabalho nos CTT. Só que depois de “Casados à Primeira Vista”, o número de pessoas a pedir consultas de tarot aumentou e a ex-concorrente agarrou a oportunidade.

“Foi um pedido que as pessoas me fizeram”. Agora, dedica-se em exclusivo às consultas de tarot e, paralelamente, tem um projeto de retiros espirituais numa quinta de luxo com a ex-concorrente Daniela.

A ex-mulher de Cláudio garante que a melhor coisa que o programa lhe trouxe foi uma evolução espiritual: “Evoluí muito e pus coisas em perspetiva que noutras alturas não punha”. Conseguiu conhecer-se melhor e viu-se obrigada a sair da sua bolha.

“Casados à Primeira Vista”. O que se passa fora do programa

João Fernandes

João Fernandes acredita que o programa lhe trouxe um maior número de clientes

Para o arquiteto, a vida pessoal não se alterou muito: “Vou aos mesmos sítios, faço as coisas que fazia antes”. Do ponto de vista profissional, o programa deu-lhe um empurrão para aumentar o volume de negócio: “Uma das consequências boas do programa foi ter conseguido aumentar o número de clientes. Para uma pessoa que está a começar [João abriu o seu negócio em 2015] foi muito bom”.

Com a ex-mulher garante não ter contacto desde 12 de dezembro. “Damo-nos todos bem, mas com a Sónia não há relação”, explicou à MAGG. Do programa retira a experiência e o facto de se ter colocado à prova: “Era uma pessoa tímida e foi bom conseguir ultrapassar isso”. O pior momento foi não ter conseguido viver a plenitude da experiência: “Gostava de ter ido para o campismo, ter aulas de judo. Ter as ferramentas que os outros concorrentes tiveram e que são boas para qualquer casal”.

O programa acabou ainda por trazer outra consequência que à primeira vista poderá parecer má, mas que João acredita que veio por bem. “Já sabia que poderia haver algum tipo de repercussão relacionado com um pequeno projeto relacionado com o meu nome”, explicou. Alguma imprensa nacional alegou que João Fernandes tinha ficado com o dinheiro de um torneio que não existiu. O ex-concorrente de “Casados à Primeira Vista” acabou por conseguir desmentir as notícias e provar que não estava envolvido no projeto. “Por um lado foi bom, porque consegui eliminar esse fantasma. Acho que veio por bem porque consegui limpar o meu nome”.

Daniela Guilherme

Para Daniela o mais difícil foi ficar longe dos filhos

Na vida de Daniela, a faceta que realmente mudou foi a oportunidade de ver o seu livro editado: “Era algo que já estava feito, mas agora consegui que o editassem”. De resto tudo igual: continua com as terapias, com as aulas de ioga e com o novo projeto em parceria com Isabel.

Dos concorrentes conta que ficou amiga de todos sendo que muitos deles fizeram questão de estar presentes no dia de lançamento do livro. “Há amizades mais fortes, por exemplo sou muito amiga do Dave, da Graça ou da Isabel, mas dou-me bem com todos”, confidenciou à MAGG. No polo oposto está a relação com Daniel: existe um grande afastamento entre os dois. “Eu tenho a minha linha de comunicação aberta, mas não é utilizada. Não corro atrás da pessoa. Ele teve oportunidade de falar comigo e não o fez”, revela.

O Instagram dos concorrentes de “Casados à Primeira Vista”

Do programa retira a componente emocional como a melhor consequência: “Na minha área é comum fazermos retiros para nos encontrarmos. Sinto que isso aconteceu quando entrei no programa. Foi tão forte emocionalmente que acabou por ser uma viagem interna”. A pior parte foi o ficar afastada dos filhos e a desilusão: “Uma pessoa não vai para este tipo de programa a pensar que vai acabar divorciada”. Diz não ter sido fácil, mas que “não fazia sentido ficar casada com a pessoa errada”, confidenciou.

Francisco Gouveia

Francisco dedica-se agora ao setor imobiliário

“Para mim nada mudou”, começa por afirmar o ex-marido de Lídia. Francisco continua a trabalhar em antiguidades mas agora fá-lo como hobby, uma vez que se rendeu ao setor imobiliário. Em termos de popularidade diz que tudo continuou igual: “Às vezes as pessoas ficam deslumbradas. Eu posso ter fãs mas não são do Estoril, por isso não noto isso”.

Mantém o contacto com os colegas e com alguns a amizade estreita permanece: “Falamos, sim. Não com todos, porque houve uns que se deslumbraram mais do que outros. Só falo com aqueles que querem falar comigo”. Com a ex-mulher diz não ter ficado com relação alguma: “Tentei que ficássemos amigos, mas não deu. Não sei da Lídia desde finais de dezembro, não trocamos mensagens nem palavras”.

Do programa retira como a pior coisa o fato de alguns amigos se terem afastado: “É na verdade o que sinto mais. Noto que alguns amigos se afastaram, já não me seguem, não põem gostos”, explicou.