Novo documentário de Beyoncé. “No meu útero, o coração de um dos bebés parou algumas vezes”

No novo documentário da Netflix, a cantora fala de como chegou quase aos 100 quilos na última gravidez e das complicações durante o parto.

Beyoncé cancelou a atuação no Coachella em 2017 por ter engravidado de gémeos

A espera acabou para os fãs de Beyoncé: o documentário sobre a sua vida ficou disponível na Netflix, esta quinta-feira, 17 de abril. Já se sabia que a preparação e o concerto para o festival Coachella faziam parte de “Homecoming”, mas nada fazia prever que a artista de 37 anosse abrisse um pouco sobre a sua história familiar.

No trailer de promoção, podemos vislumbrar a filha mais velha de Beyoncé e de Jay-Z, Blue Ivy, de 6 anos, assim como os gémeos de 1 ano, Rumi e Sir. Agora, no documentário, a artista fala da sua gravidez, dos problemas que teve nesta etapa e de como se preparou para o concerto em 2018.

Em “Homecoming”, explica que desenvolveu pré eclampsia – uma condição que causa pressão arterial alta e que pode levar a sérias complicações na gravidez — e que por isso teve uma gravidez “muito complicada”. “O meu corpo passou por mais coisas do que achei que ele era capaz de aguentar”, explicou a cantora.

“Era suposto fazer o Coachella no ano anterior [em 2017] mas engravidei inesperadamente. Depois acabei por saber que estava grávida de gémeos, o que foi uma total surpresa”, recorda no documentário. Beyoncé anunciou ao público que estava grávida em fevereiro de 2017 com uma imagem no Instagram.

Em junho de 2017 deu à luz Sir e Rumi. A cantora assume que pesaria quase 100 quilos nesta altura da sua vida. O parto também não foi fácil: “No meu útero, o coração de um dos bebés parou algumas vezes por isso tive de fazer uma cesariana de emergência”.

A foto escolhida por Beyoncé para anunciar ao mundo a gravidez de gémeos

Voltar à forma física e preparar um concerto para o ano seguinte não foi fácil: “As minhas atuações são muito sentimentais, e por isso é complicado fazer isso quando não te sentes tu próprio”, confessou. “Tive de reconstruir o meu corpo e demorei a sentir-me confiante novamente para dar tudo de mim nas atuações”.

Para além das complicações físicas, a mente da artista não estava no local dos ensaios: “A minha mente não estava ali, estava com os meus filhos”. Beyoncé ensaiava e ia para a caravana amamentar os filhos. “Estava a tentar equilibrar o facto de ser mãe de uma criança de 6 anos, de gémeos que precisavam de mim e ainda ter criatividade ao mesmo tempo”. “Antes podia ensaiar 15 horas seguidas. Agora tenho filhos, um marido e tenho de tomar conta do meu corpo”, salientou a cantora.

Em 2018, Beyoncé atuou no festival Coachella e as críticas positivas multiplicaram-se. A cantora foi a primeira mulher negra a constar do cartaz principal do festival. “Sinto que sou uma mulher nova num capítulo novo na minha vida e nem sequer estou a tentar ser a pessoa que era antes. É bonito o quanto os filhos te mudam”, salientou a cantora.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]