Viver na Europa tem as suas vantagens e desvantagens. Mas são mais as desvantagens para quem vive na Europa de Leste. Isto segundo um estudo publicado no “European Heart Journal” sobre o efeito de viver em países onde o ar é mais poluído.

Segundo este estudo, uma pessoa que viva na Europa perde dois anos de vida, devido à poluição, sendo que esta poluição não está distribuída equitativamente pelo continente. Na Europa Oriental o ar é muito mais poluído do que na Europa Ocidental, havendo uma espécie de linha que divide o lado mais perigoso do menos afetado. Boas notícias para Portugal.

O relatório revela também que cerca de 800 mil pessoas morrem prematuramente na Europa por ano devido à poluição, cerca de 17% dos 5 milhões de mortes anuais no continente. Entre 40 a 80% do número total de mortes devem-se a efeitos secundários causados pelo ar poluído, mas não respiratórios. Estes casos estão associados a doenças cardíacas. Este estudo duplica os números divulgados anteriormente pela Organização Mundial de Saúde relativamente a mortes precoces devido à poluição.

Ministério do Ambiente da Dinamarca diz que sacos de pano ou papel podem ser piores do que os de plástico

“Isto significa que a poluição causa mais mortes extra num ano do que o tabaco. Fumar é evitável, respirar o ar poluído não”, afirma Thomas Munzel, cardiologista alemão, em entrevista ao “The Guardian”.

Os investigadores acreditam que a poluição pode ser significativamente diminuída se se passar a usar cada vez mais energias renováveis, diminuindo também as mortes devido a este grave problema que aumentou 8% nos últimos cinco anos.

Num outro estudo, foi revelado o impacto económico que podia haver na Europa se a poluição fosse reduzida. Até 2025 poderiam ser poupados mais de 600 mil milhões de euros ao continente, ao ter menos custos de saúde, menos mortes prematuras, aumento do turismo e da valorização imobiliária de alguns sítios agora desvalorizados devido ao mau ar.

Há cidades na Polónia com um nível grave de poluição