Muitos de vocês provavelmente vão achar que passei quase toda a minha vida escondida debaixo de uma pedra, mas só comecei a provar algumas peças de sushi há pouco tempo. Confesso que não fiquei fã e que, até agora, as minhas peças de eleição são mesmo aquelas fritas e quentes, que parecem ter sido feitas para pessoas que, na realidade, não gostam muito de sushi.

Isso não quer dizer que deteste comida asiática, antes pelo contrário. Há uns tempos contei-vos que fui experimentar o novo brunch pan-asiático do Museu do Oriente, em Lisboa, e saí de lá a rebolar. A comida era toda fabulosa e confesso que adoro mesmo este tipo de pratos e as combinações de sabores da comida asiática.

O problema é que, na grande maioria dos casos, quando falamos em asiáticos toda a gente assume, automaticamente, que estamos a falar em ir jantar sushi. Mas, e quem não gosta de sushi mas quer continuar a comer um bom prato de noodles ou umas guiozas?

Como acredito que alguns de vocês também não sejam grandes fãs de sushi, quero partilhar convosco cinco dos meus restaurantes asiáticos favoritos.

1. Boa Bao (Lisboa e Porto)

De todos os espaços que fazem parte desta lista, o Boa Bao, que fica zona do Chiado, é o meu favorito. Entretanto abriram também na Rua da Picaria, no Porto. Neste pan-asiático encontram pratos de várias regiões do continente, desde guiozas a vários tipos de caril e até salteados de noodles no wook. Para quem gosta deste tipo de sabores e de sítios com decoração gira, este é o sítio ideal para um jantar com os amigos.

Morada: Largo Rafael Bordalo Pinheiro, 30 e Rua da Picaria, 61

2. Soão (Alvalade)

O Soão é a típica taberna asiática onde encontra vários pratos desta região. Há sushi, para quem gostar, mas se forem como eu e preferirem outras coisas podem sempre pedir um Gua Bao, um tipo de sandes, normalmente recheada com carne de porco cozida, que é muito popular nas ruas de Taiwan. Aqui a decoração é toda em madeira e, se quiserem, podem comer ao balcão para terem uma experiência diferente.

Morada: Avenida de Roma, 100

3. The Old House (Parque das Nações)

Dizem que é no The Old House, que fica no Parque das Nações, que se come o melhor Pato à Pequim de todo o País e que sabe tal e qual ao que é servido na China. Aqui não encontram a tradicional galinha com amêndoas ou Família Feliz que há nas ementas dos outros restaurantes chineses. No The Old House, a ementa é tal e qual a que encontrariam no restaurante na China e há pratos como noodles ao estilo de Sichaun ou galinha fumada. É como se saíssem de Portugal e viajassem enquanto estão a comer, acreditem.

Morada: Rua da Pimenta, 9

4. Ajitama (Arroios)

Se estão à procura de uma boa taça de ramen, de um sítio central e com decoração gira, então têm mesmo de ir ao Ajitama. Se não ficarem convencidos com a estrutura de madeira que está montada no teto do restaurante, talvez os Maneki Neko, aqueles gatinhos de plástico que abanam a pata, vos convençam a tirar uma fotografia para o Instagram. Depois disso, apreciem mesmo estas taças de ramen que são fabulosas e talvez seja por isso que os donos, que antes serviam jantares privados em casa, chegaram a ter uma lista de espera com mais de mil pessoas.

Morada: Avenida Duque de Loulé, 36

5. Kin (Martim Moniz)

Uma das coisas que tenho vindo a reparar nos asiáticos é que a decoração é sempre espetacular. O Kin, que fica ali na zona do Martim Moniz, não é exceção, e quando lá entram encontram logo um dragão chinês gigante pendurado no teto. Para quem gosta de guiozas, crepes e pad thai é o restaurante ideal. Além disso, tem uma vista espetacular, porque é mesmo ao lado do Topo.

Morada: Centro Comercial Martim Moniz, Piso 6