Xsara venceu um cancro e quer devolver o dinheiro doado

Os médicos deram-lhe pouco tempo de vida mas o inesperado aconteceu. "Espero que não estejam chateados comigo por não ter morrido".

A 25 de março deste ano, os resultados dos últimos exames revelaram algo que ninguém estava à espera: o cancro tinha desaparecido

Só um milagre podia salvar Xsara Sanderson. Diagnosticada com um linfoma de Hodgkin, que afeta o sistema imunitário, a degradação foi rápida. Tão rápida que os médicos garantiram que a jovem de 20 anos não teria mais um ano de vida — dias, semanas, talvez até alguns meses. Um ano era impossível.

Xsara Sanderson começou a fazer todos os preparativos para o funeral. Naquele dia, a jovem britânica queria ser uma princesa, com direito a carruagem e cavalo. Até escolheu a banda sonora: “Close to You“, dos Carpenters, “A Thousand Years“, de Christina Perri, e “Your Song“, de Elton John, estavam na lista.

A 25 de março deste ano, os resultados dos últimos exames revelaram algo que ninguém estava à espera: o cancro tinha desaparecido. “O meu médico está absolutamente perplexo. Ele não faz ideia de como é que isto aconteceu, já que a quantidade de quimioterapia que eu recebi não foi suficiente para me livrar disto”, contou a jovem ao “Daily Mail“.

Agora, Xsara quer devolver o dinheiro a todas as pessoas que a ajudaram. “Amo-vos a todos e espero que não tenham raiva de mim por ter vencido o cancro, mesmo que a minha mãe tenha dito que eu ia morrer”, continua.

Xsara Sanderson foi diagnosticada com um linfoma de Hodgkin

Em dois meses, Xsara Sanderson perdeu 19 quilos

Aos 19 anos, Xsara sabia que havia alguma coisa que não estava bem. Em dois meses tinha passado dos 73 quilos para os 54, o que obviamente não era normal. Pensado que se tratava de uma gripe mais violenta, procurou o médico de família para queixar-se da perda abrupta de peso, fadiga extrema e uma pálpebra caída.

Estávamos em julho de 2018. Depois de fazer exames ao sangue, Xsara foi chamada ao hospital no dia seguinte. As notícias não era boas, e a jovem apercebeu-se disso assim que viu a cara do especialista de hematologia.

“A minha mãe chorou muito e eu chorei um bocadinho”, contou Xsara Sanderson. Ainda sem saber se seria um linfoma ou uma leucemia, a jovem só queria o melhor dentro do pior. A resposta chegou uma semana depois.

“Eu não assimilei nada, só fiquei em estado de choque. Toda a gente estava a chorar, mas eu fiquei estática”.

Xsara tinha um linfoma de Hodgkin num estágio avançado. Foram detetados tumores no peito, pelo que os especialistas recomendaram que ela iniciasse a quimioterapia imediatamente.

Assim foi. Depois de duas sessões de quimioterapia, os tumores mais pequenos desapareceram. Mas os grandes ainda estavam lá. Iniciou-se mais um curso de quimioterapia, desta vez mais intenso do que o anterior. Xsara não aguentou.

“Fiz o primeiro dia da quimioterapia mais forte e estava sempre a vomitar. Quando a minha família me veio visitar no dia seguinte, eu disse-lhes: ‘Não consigo fazer mais isto’.”

Naquele momento, Xsara não conseguia comer, beber ou simplesmente ficar de pé. Em novembro, decidiu desistir dos tratamentos. “Para mim a decisão foi fácil, mas quando pensava nas outras pessoas… foi isso que dificultou.”

“Fiquei absolutamente arrasada quando ela disse que estava a parar a quimioterapia”, contou a mãe, Stephanie, ao jornal. “Pensei que ela tinha desistido. Pensei: ‘É isto, vamos apenas sentar-nos e esperar que ela morra’. Pensar que vais viver mais do que a tua filha é horrível.”

Xsara Sanderson e o namorado, Joshua Carnaby

E, de repente, o milagre

“Os médicos disseram que não podiam determinar quanto tempo é que eu teria — poderiam ser dias, semanas ou meses, mas não anos”.

Uma infeção no peito levou-a às urgências do hospital. Mas, mais uma vez, Xsara sobreviveu. Em janeiro, um amigo da família decidiu criar uma petição no GoFundMe para pagar o funeral de Sanderson.

“Eu não queria que a minha mãe se preocupasse com dinheiro para o funeral quando já estava preocupada com a minha morte.”

Preparar o funeral foi “bom”, garante a jovem. “Eu estava a conseguir as coisas que eu queria. Mas, ao mesmo tempo, ninguém quer planear o seu próprio funeral.”

Naquele dia, Sanderson esperava ser uma princesa — com direito a cavalo e carruagem. Só não queria saber do caixão. Como ia ser cremada, esta parte não lhe interessava muito.

Enquanto planeava o funeral, Xsara começou a sentir-se cada vez melhor. Tanto que decidiu repetir os exames para ver como estava o cancro a evoluir. Os resultados chegaram a 25 de março: estava curada.

“O médico disse que tinha tudo acabado e que não havia nenhum sinal do cancro.”

Sendo a medicina incapaz de explicar o que aconteceu, Xsara diz que o “pensamento positivo” pode ter ajudado. “As pessoas dizem que se pensarmos positivo, coisas boas acontecem. Não sei. Acho que ter um pensamento positivo e, claro, a quimioterapia, ajudaram.”

Xsara quer devolver o dinheiro doado

A jovem conseguiu angariar 3.652 euros

“Para quem doou para o meu funeral, eu gostaria de devolver o dinheiro”, disse, pedindo que lhe enviassem mensagens com o valor doado. Quem não quiser receber o dinheiro de volta, pode contar que a jovem não vai ficar com ele: será tudo devolvido à unidade que cuidou dela em Hill, no Reino Unido. “Espero que não estejam chateados comigo por não ter morrido”, disse.

Xsara não tem dúvidas de que tudo isto a tornou numa pessoa melhor. Ela pretende formar-se na área de cuidadora, tem planos para ir viver com o namorado e até inscrever-se no ginásio. “Vou planear férias e fazer tudo o que sempre quis fazer e pensei que nunca teria oportunidade de fazer.”

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]