Esta tartaruga foi encontrada presa a uma cadeira de praia

Esta segunda-feira tornou-se viral a morte de uma cachalote grávida, com 22 quilos de plástico no estômago. Há mais histórias.

Nos últimos meses, saíram várias notícias de animais mortos devido ao plástico

Na semana passada, a carcaça de uma cachalote grávida apareceu na Sardenha, em Itália. Tinha 22 quilos de plástico no estômago e carregava um feto morto. A notícia surgiu nos meios de comunicação social esta segunda-feira, 1 de abril, e é a prova de que ainda há muito para fazer. A instituição SeaMe Sardenha explicou que a baleia deveria ter abortado antes de encalhar, uma vez que o feto estava em avançado estado de decomposição.

Infelizmente esta história está longe de ser única. Uns dias antes, mais precisamente a 16 de março, uma baleia deu à costa nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago. A 28 do mesmo mês, um estudo disse que até as anêmonas-do-mar estão a ingerir microfibras de plástico — e mostrou-nos isso em imagens.

Todos os anos, mais de 100 mil animais marinhos morrem na sequência da contaminação de plástico nos oceanos. E não estamos sequer a incluir as aves ou os ursos polares. Incapazes de distinguir lixo de comida, eles são o principal alvo de um uso descontrolado do plástico, que ainda por cima não é reciclado — segundo um estudo publicado na “Science Advances”, o primeiro do género, 91% do plástico não entra nos ecopontos amarelos.

Só passaram três meses desde o início do ano, no entanto a quantidade de notícias de animais mortos devido ao plástico é assustadora. Se alargarmos a pesquisa ao último ano, o cenário é quase catastrófico.

Depois de lhe revelarmos fotos chocantes de animais vítimas do plástico, mostramos-lhe agora imagens impressionantes de baleias, tubarões e até ouriços que foram vítimas da poluição nos últimos meses. O plástico continua a ser o principal vilão, mas também há restos de vidro que se revelam fatais. Estudos mais recentes garantem: a situação é alarmante. Mas toda a gente pode ajudar fazendo algo tão simples como diminuir a utilização do plástico (temos algumas dicas neste artigo) e, claro, reciclando.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]