Produtor de “A Guerra dos Tronos” explica quais são os episódios que tem mesmo de ver

Existem episódios fulcrais de "A Guerra dos Tronos" para entender a narrativa da história. O produtor de Bryan Cogman explica quais são.

Os dois primeiros episódios são fulcrais para quem quer entender a história

Se é daquelas dez pessoas no mundo que ainda não viu a série de sucesso “A Guerra dos Tronos”, estes conselhos são essenciais. A última e derradeira temporada está prestes a estrear e, se quer acompanhá-la, precisa de ver a série toda a um ritmo acelerado.

Mas nós damos uma ajuda. Aliás, um dos produtos e escritores da série, Bryan Cogman, dá uma ajuda ao escolher os episódios que precisa mesmo de ver para se atualizar em pouco tempo.

Pausa para aqueles que queiram ver a série tranquilamente: o texto abaixo pode conter alguns spoilers.

O primeiro conselho que dá é mesmo começar pelo início, ou seja, os dois primeiros episódios são fulcrais para entender a narrativa da história que se passa em Westeros. É nestes episódios que os fãs começam a ver a audácia de Jon Snow quando este se dirige à muralha para defender o seu povo.

“Lembro-me de ver a primeira cena no meu computador e pensar que sim, que ia resultar. Tínhamos aqui uma bela série”, diz o produtor de “A Guerra dos Tronos”.

Outro episódio que Cogman considera importante é o nono da primeira temporada, que é demasiado emocional para qualquer fã da série – Ned Stark é traído pelos Lannisters e por isso morre decapitado. “O Ned Stark é uma personagem importante na história e, por isso, mesmo depois de morto é raro o episódio onde alguém não menciona o nome dele”, relata Bryan Cogman.

Ainda na primeira temporada, não pode perder o episódio dez, garante o produtor.

Na terceira temporada, o produtor confirma que existem poucos episódios tão emocionantes como o nono. É aqui que se realiza um casamento, o Red Wedding, onde morrem muitas personagens principais. Muitas mesmo.

Para Bryan este é um episódio que muda tudo: “Muda a narrativa e muda o tempo da série. A Michelle Fairley faz um papel brilhante durante os ensaios e durante as filmagens e até quando a câmara não estava apontada a ela”.

Passando para a temporada quatro, tem de ver o episódio oito que conta com a personagem “Mountain” a esmagar o crânio de uma pessoa com as próprias mãos. Na temporada cinco, aquele que não pode perder é o quinto episódio. Mais uma vez, é um dia triste para Westeros.

Godman assume a sexta temporada como “uma virada no jogo” e, para os fãs, é capaz de ter o melhor episódio até agora – a Batalha dos Bastardos.

Um dos episódios mais importantes para ao autor é o décimo: o protagonista Jon Snow torna-se Rei do Norte, Cersei destrói o Grande Septo de Baelor e fica com o Iron Throne. Um episódio “marcante” na história da série.

Chegando à sétima temporada, Bryan Cogman escolhe o último episódio como aquele que tem mesmo de ver. Os White Walkers conseguem atravessar a muralha quebrando o feitiço, existe um dragão pelo meio e é o derradeiro episódio a ter em atenção até à estreia da nova temporada.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]