As minhas sugestões de séries para ver na HBO

Há clássicos para rever, mas também descobri muitas novidades graças a esta plataforma de streaming.

Há séries que adoro ver e rever até à exaustão

Se há coisa de que gosto de fazer ao fim de semana, além de passear, claro, é passar uma tarde no sofá a ver séries. Se antigamente devorava todos os filmes que passavam na televisão, hoje em dia tenho a vida facilitada e posso escolher exatamente o que quero ver graças a serviços como a HBO.

Desde que este serviço de streaming chegou a Portugal, em meados de fevereiro, que tenho começado a espreitar algumas das séries que estão disponíveis, inclusive algumas das produções mais recentes. Há algumas que sei que toda a gente adora, como “A Guerra dos Tronos”, mas, confesso, não é das minhas favoritas de sempre.

Estou a trabalhar este fim de semana, mas imagino que alguns de vocês não estejam (seus sortudos!), por isso, vou partilhar convosco algumas das minhas sugestões para verem na HBO. Algumas destas séries já vi e gostei muito, outras ainda quero dar uma oportunidade e, claro, há um clássico intemporal que devem ver e rever até já saberem todas as falas de cor.

“Killing Eve”

É uma série que estou ansiosa por ver. A Sandra Oh era uma das personagens principais de “A Anatomia de Grey”, que sempre adorei, e desde que soube que ela ia ter uma nova série fiquei super entusiasmada. A Eve (Sandra Oh) é uma funcionária de um dos departamentos dos serviços de segurança britânicos e começa a procurar uma assassina profissional, chamada Villanelle (Jodie Comer), até que as duas acabam por ficar completamente obcecadas uma pela outra.

“Big Little Lies”

Foi uma das primeiras séries que vi assim que a HBO chegou a Portugal e adorei. São quatro mulheres, a Reese Witherspoon, Nicole Kidman, Shailene Woodley e Laura Dern, e fala, acima de tudo, de relações humanas. As três mulheres são de classe alta, parecem ter a vida perfeita, mas todas lidam com situações bem reais e duras como a violência doméstica e o bullying. Tudo isto enquanto acontece um homicídio na comunidade onde vivem que vai unir os destinos das quatro para, no final, se revelar quem está por detrás do crime.

“Westworld”

Se há coisa que adoro são séries que mexam com a forma como olhamos para o mundo e para as relações humanas. Depois de ter visto “Big Little Lies”, vou-me dedicar a “Westworld”, que fala de uma sociedade alternativa à qual as pessoas se podem juntar como se fosse um jogo. O problema é que as pessoas desta sociedade, que na verdade são robots, começam a ganhar vontade própria e a revoltar-se contra os humanos.

“Sharp Objects”

Mais uma série que quero muito começar a ver. É inspirada num livro da Gillian Flynn, que escreveu também o que deu origem ao filme “Em Parte Incerta”, com Ben Affleck. “Sharp Objects” fala de uma jornalista, Camille Preaker (Amy Adams), que é alcoólica e durante anos se automutilou para lidar com traumas de infância. Depois de anos afastada da sua cidade natal, Wind Gap, no Missouri, tem de regressar para investigar o homicídio de duas miúdas e, ao mesmo tempo, lidar com a mãe, Adora (Patricia Clarkson), e com alguns dos fantasmas do seu passado.

“O Sexo e a Cidade”

HBO/Everett Collection

É uma das séries mais conhecidas de sempre entre as mulheres e que até deu origem a dois filmes. Lembro-me de ver “O Sexo e a Cidade” na televisão desde miúda e de sempre adorar o closet da Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker), sonhar com os vestidos e sapatos dela e, claro, querer ter a vida glamorosa de uma colunista nova-iorquina. Talvez seja por isso que vos estou a escrever estes textos, pensando bem. É um clássico obrigatório para os domingos à tarde.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]