Jack, o Estripador é um nome que surge imediatamente quando o tema é o assassinato em série. O seu principal alvo eram mulheres, na maioria, acredita-se, prostitutas. O homem cortava-lhes a garganta, golpeava a zona do abdómen e, em alguns casos, chegava mesmo a fazer remoção de órgãos. Passados mais de 130 anos desde os primeiros registos de atuação do assassino, pouco se sabe sobre a sua identidade. É este mistério que o novo documentário da BBC pretende resolver.

“Jack The Ripper: The Case Reopened” será uma série documental dividida em três partes que vai colocar membros da policia de investigação a rever o caso, tentando chegar à identidade do assassino através de novas tecnologias científicas.

Livro. Historiadora afirma que as vítimas de Jack, o Estripador eram sem-abrigo e não prostitutas

O professor David Wilson, especialista em psicologia do crime, e a atriz Emilia Fox vão guiar o documentário, onde serão utilizadas fotos originais das cenas do crime e uma mesa de dissecação de realidade virtual, para facilitar a análise dos especialistas forenses.

Emilia diz sentir-se “privilegiada” pela oportunidade de ter sido escolhida como apresentadora do projeto, que imediatamente captou a sua atenção. “Este documentário interessou-me imensamente devido ao meu gosto pelo crime, patologia e análise forense, e também porque ele se foca nas vitimas – as mulheres que Jack, o Estripador escolheu e que deixou tão vulneráveis com a sua brutalidade”, cita a “Lab Bible“.

David Wilson e Emilia Fox

BBC / Divulgação

Craig Hunter, da BBC, destacou que, apesar do tempo passado desde a prática dos crimes, este é um assassino que continua a despertar a atenção de todos. “É notável pensar que as técnicas científicas de hoje podem ser usadas para ajudar a tentar resolver mistérios com mais de um século não respondidas.”

Está confirmado que o Estripador terá assassinado cinco mulheres na periferia de Whitechapel, em Londres. No entanto, acredita-se que Mary Ann Nichols, Annie Chapman, Elizabeth Stride, Catherine Eddowes e Mary Jane Kelly não tenham sido as únicas vitimas.

O documentário, cuja transmissão em Portugal ainda não está garantida, chegará à estação BBC One na próxima quinta-feira, 4 de abril.