O vídeo tornou-se viral quando, em agosto de 2018, mostrava uma jovem a ser empurrada de uma ponte pela amiga. Jordan Holgerson, na altura com 16 anos, caiu de uma altura de 18 metros, o que resultou na fratura de cinco costelas e na perfuração de um pulmão.

Apesar de todo o mediatismo, o caso só ficou resolvido esta quarta-feira, 27 de março, depois de o tribunal de Washington, nos Estados Unidos, ter condenado Tay’Lor Smith, 19 anos, a uma pena de apenas dois dias de prisão — por colocar a vida da amiga em risco.

A jovem, que no início do julgamento se declarou inocente, terá admitido ser culpada na tentativa de possibilitar um acordo entre os advogados responsáveis pela acusação. O objetivo? Evitar uma pena de prisão mais longa.

Jordan, a vítima, não conseguiu falar por estar muito comovida mas pediu a um representante da família que lesse as suas declarações — onde revelou que o acidente do verão passado a tinha traumatizado.

“O pesadelo começou assim que me senti a cair. Estava aterrorizada e, quando vi o meu corpo a ser puxado para fora da água, só pensava que ia morrer porque não conseguia respirar. Além disso, via a cor do meu corpo a mudar a cada segundo.”

Por sua vez, Tay’Lor Smith pediu desculpa à amiga, à família e aos amigos por entre soluços de choro, já que até então arriscava-se a passar pelo menos um ano presa.

Depois da polémica, Barbra Streisand pede desculpa às alegadas vítimas de Michael Jackson

“Gostava de oferecer as minhas mais sinceras desculpas a Jordan Holgerson, à sua família e amigos, por toda a dor e humilhação que as minhas ações no verão passado causaram. Tenho pensado na Jordan desde o acidente.”

No entanto, o juiz não aceitou o acordo e decidiu a favor da mãe da vítima, que sempre pediu que Tay’Lor fosse para a prisão durante o mesmo tempo que a filha esteve internada (dois dias).

Além da pena, Tay’Lor terá ainda de cumprir 38 dias de trabalho comunitário e pagar cerca de 266€ de indemnização à família da vítima.