São muitos os fenómenos que invadem a internet e que tentamos reproduzir e imitar nas nossas vidas. Quando se trata de saúde e beleza, então, tentamos mesmo tudo — por mais estranho que pareça. Mewing invadiu o YouTube e está a tornar-se uma nova obsessão. A prática é uma das mais recentes manias de beleza, e consiste em manter a língua no céu da boca.

Parece estranho, sim, mas ao que parece o posicionamento da língua no céu da boca é pensado para melhorar a aparência. Segundo os defensores desta técnica, a longo prazo este “exercício” ajuda na respiração, alivia dores musculares bucais e ajuda a definir as linhas do maxilar. Os que aderem a este truque aderem também a outros hábitos, como mastigar pastilhas elásticas de maneira a fortalecer os músculos da mandíbula.

Fazendo uma pesquisa rápida no YouTube por “mewing technique”, é possível encontrar cerca de sete mil resultados. Joseph Saavedra, um vlogger do YouTube com 21 anos, disse que a colocação da língua é crucial. “Algumas pessoas que fizeram comentários disseram que fizeram isto a vida toda e todos têm estruturas faciais muito boas”.

Segundo explica o jornal “The Guardian“, Mewing surgiu pelo ortodontista britânico John Mew e o filho, Mike Mew. Mike está mais associado à popularidade da prática, como resultado dos seus vídeos no YouTube.

Desde 2012, publicou mais de 600 vídeos sobre o assunto. No entanto, nem tudo correu bem. Em novembro de 2018 o jovem foi expulso da British Orthodontic Society devido às suas publicações. Alegadamente, o conselho considerou que as suas “declarações nas redes sociais enganaram ou têm o potencial de enganar os pacientes e o público”.

A British Orthodontic Society recusou-se a comentar a situação. Um porta-voz fez uma declaração: “Como parte dos nossos estatutos, o nosso órgão executivo pode suspender qualquer membro cuja conduta, na sua opinião, seja contrária aos interesses da sociedade”.

Apesar de ter sido expulso, o médico continua a ter muitos fãs e seguidores. Num fórum criado no Reddit, Mike tem mais de 6.300 seguidores. Os utilizadores procuram obter dicas sérias sobre como obter as características faciais desejadas.

Existem alguns céticos que apontam que os supostos benefícios da técnica ainda precisam de ser substanciados pela ciência. Outros preocupam-se que a prática possa ser um sintoma de dismorfia — transtorno psicológico onde a pessoa acredita ter defeitos físicos que não possui.