Há poucos nomes britânicos que digam tanto aos portugueses como Madeleine McCann. Depois do seu desaparecimento, a 3 de maio de 2007, na praia da Luz, o rosto de Maddie circulou em todos os meios de comunicação nacionais e tornou-se reconhecido em todo o mundo. Além da menina, que na época do desaparecimento tinha 3 anos, Gerry e Kate McCann também se tornaram o centro das operações mediáticas dos meses que sucederam a tragédia. No entanto, a família McCann era composta por mais dois elementos – os irmãos gémeos de Maddie, Sean e Amelie McCann.

A imprensa nunca divulgou muita informação em relação ao casal de irmãos, que tinham apenas 2 anos quando a irmã mais velha desapareceu. O casal McCann sempre foi bastante cuidadoso com a manutenção da privacidade dos filhos mais novos, no entanto, iniciando agora a sua fase de adolescência, começa a surgir mais informação na imprensa internacional sobre Sean e Amelie e as rotinas que orientam os seus dias atualmente.

Sean e Amelie McCann têm agora 14 anos e ambos praticam desporto. Apesar de não existirem registos fotográficos divulgados, sabe-se que o jovem rapaz está envolvido em equipas de natação, onde concorre em campeonatos, triatlo e corta-mato. Só no ano de 2018, Sean McCann competiu em 14 campeonatos, ligas e corridas. Já Amelie está também associada às práticas de triatlo e atletismo, tendo participado em nove competições no ano passado.

Não, nunca foi encontrado sangue de Maddie no carro. Os maiores mitos sobre o caso

Segundo meios de comunicação britânicos, Madeleine McCann continua a ter uma grande presença na vida dos irmãos. O quarto da menina está intacto desde a sua partida para umas férias com a família e amigos no Ocean Club – às decorações cor-de-rosa juntam-se dezenas de presentes que Kate e Gerry compraram para Maddie durante estes 12 anos.

Além disso a escola católica que frequentam, em Loughborough, no Reino Unido, mantém uma vaga reservada para Maddie, na esperança de que algum dia ela seja encontrada.

Kate McCann, afirma que é comum a família rezar pelo reaparecimento de Madeleine em ocasiões importantes. Segundo Kate, apesar de os gémeos terem passado maior parte da infância sem a presença física da irmã, eles conhecem os contornos do caso e desejam o seu regresso. “Eles têm os seus próprios amigos, mantêm-se ocupados e são muitos desportivos, mas o seu único desejo é que a irmã mais velha volte para casa. Sentimos falta da nossa família completa”, confessou Kate ao “The Sun”.

Gerry, Amelie, Sean e Kate McCann (da esquerda para a direita) em maio de 2007 no apartamento do Ocean Club, na praia da Luz

AFP/Getty Images

Quando Maddie foi raptada, Sean e Amelie estavam apenas a alguns metros da irmã, a dormir nos seus berços. Por volta das 22 horas, Kate deu o alerta do desaparecimento e desde aí que não existiu nenhum avistamento credível da criança, que agora teria 15 anos.