Se na ModaLisboa encontrámos looks tão abstratos que até Conan Osiris os usaria, no Portugal Fashion faltam-nos estudos para compreender as escolhas de algumas das pessoas que passaram pela Alfândega do Porto. Foi por isso que a cada look excêntrico que encontrávamos, pedíamos que nos explicassem o porquê daquela escolha.

Foi ainda antes do desfile de Micaela Oliveira que nos cruzámos pela primeira vez com Vânia Rodrigues ou, pelo menos, com o seu casaco com padrão inspirado nas peças de Versace em tons de néon. A peça brilhava no escuro em contraste com a luz azulada dos corredores da Alfândega do Porto e fazia lembrar um colete refletor.

“Sou designer de moda e estou sempre a par das tendências”, explicou, minutos antes do desfile de Luís Onofre, o último da noite. “Este padrão de Versace usa-se muito e, neste casaco, está a combinar com a tendência néon.”

Francisca Pérez é a mulher com mais pinta do 3.º dia do Portugal Fashion

Quem também quis apostar em néons foi Daniela Pacheco, que usou uns cycling shorts em amarelo fluorescente. “Tinha de me convencer a mim mesma a aceitar a moda dos cycling shorts e então decidi trazer para o Portugal Fashion”, conta a stylist.

Sara Tillo, pintora, usava um vestido vermelho com rede que “parece as que os pescadores usam”, diz a própria. Combinou a peça com um blusão de ganga que personalizou com um tigre e alguns brilhantes.

Também a carteira que trazia, na mesma cor do vestido, era uma criação sua. “Isto era um forro de uma outra carteira que tirei e meti um cinto a fazer de alça”, explica, sem adiantar muito do porquê daquela escolha além de “gosto de ser criativa nos looks” e “ir trabalhando as peças” ao seu gosto.

12 fotos