Documentário de Maddie na Netflix. As 48 perguntas da polícia a que Kate recusou responder

Os pais de Maddie não quiseram participar no documentário, já disponível na Netflix. Também em 2007 a mãe da criança optou pelo silêncio.

Kate McCann recusou-se a responder a 48 perguntas, depois de ter sido constituída arguida no caso do desaparecimento da sua filha de três anos

AFP/Getty Images

The Disappearance of Madeline McCann” já está disponível na Netflix, desde sexta-feira 15 de março. O documentário, com oito episódios, conta a história da criança britânica que desapareceu há quase 12 anos, na praia da Luz, no Algarve, quando apenas tinha três anos. Inclui entrevistas inéditas com investigadores, jornalistas e até habitantes da vila algarvia que falaram sobre o caso que resultou numa das investigações mais mediática e dispendiosas dos últimos tempos.

Os pais Kate e Gerry McCann recusaram-se a participar no documentário, apesar de o mesmo sugerir que a criança possa ter sido levada por uma rede de tráfico de crianças e que possa ainda estar viva. Em causa estará o facto de o caso ainda estar sob investigação policial.

Um dos momentos que levantam mais dúvidas entre aqueles que suspeitam do envolvimento dos pais no desaparecimento da criança tem a ver com o dia 7 de setembro de 2007, dia em que a mãe de Maddie foi interrogada ao longo de todo o dia pela polícia. Na altura, Kate recusou-se a responder a 48 questões que lhe foram colocadas pela PJ de Portimão, num interrogatório que começou naquela manhã e terminou à noite. Muitas das perguntas sugeriam que teria sido encontrado sangue, bem como odor de cadáver na casa em que a criança dormia, o que se veio a perceber mais tarde não ser verdade. Estas foram as 48 questões a que Kate não quis responder, muito devido à já então relação tensa entre os pais da criança inglesa e as autoridades portuguesas, que apontavam cada vez mais a investigação para um possível envolvimento dos pais Kate e Gerry.

1. No dia 3 de Maio de 2007, pelas 22 horas, quando entrou no apartamento, o que viu, o que fez, onde procurou, o que manuseou?

2. Procurou dentro do armário do quarto do casal? (disse que não respondia)

3. Pode descrever o seu conteúdo? (sobre duas fotografias exibidas que mostravam o armário do seu quarto)

4. Porque é que o cortinado atrás do sofá e em frente à janela lateral está mexido? Alguém passou por detrás desse sofá?

5. Quanto tempo demorou a busca que fez no apartamento depois da deteção do desaparecimento da sua filha Madeleine?

6. Por que disse logo que Madeleine fora raptada?

7. Partindo da ideia de que a Maddie tinha sido raptada, porque é que deixou os gémeos sozinhos em casa para ir ao Tapas para dar o alarme? Até porque o suposto raptor ainda podia estar no apartamento.

8. Porque é que, naquele momento, não perguntou aos gémeos o que tinha acontecido à irmã ou porque é que não lhes perguntou mais tarde?

9. O que disse concretamente e o que usou quando deu o alarme no Tapas?

10. O que aconteceu depois de dar o alarme no Tapas?

11. Por que foi avisar os seus amigos em vez de gritar da varanda?

12. Quem é que contactou as autoridades?

13. Quem é que participou nas buscas?

14. Alguém fora do grupo, nos minutos seguintes, ficou a saber do desaparecimento de Maddie?

15. Houve alguma vizinha que ofereceu ajuda após o desaparecimento?

16. O que quis dizer quando usou a expressão “Nós deixámo-la ficar mal”?

17. A Jane disse-lhe que tinha visto um homem com uma criança naquela noite?

18. Como foram contactadas as autoridades e que força policial foi avisada?

19. Durante as buscas, já com a presença policial, em que locais foi procurada Maddie, como, e de que forma?

20. Porque é que os gémeos não acordaram durante essa busca ou quando foram para o piso superior?

21. Para quem telefonou depois dos factos?

22. Ligou para a SKY News?

23. Sabia do perigo de ligar para a comunicação social, porque isso podia influenciar o raptor?

24. Pediram a presença de um padre?

25. Qual foi o modo de divulgação do rosto de Madeleine, se fotografia, se outros?

26. É verdade que durante a busca ficou sentada na cama de Maddie sem se mexer?

27. Como é que foi o seu comportamento naquela noite?

28. Conseguiu dormir?

29. Antes da viagem a Portugal fez algum comentário sobre um mau pressentimento ou um presságio?

30. Qual o comportamento de Madeleine?

31. Maddie sofria de alguma doença ou tomava medicação?

32. Qual o relacionamento de Madeleine com os irmãos?

33. Qual o relacionamento de Maddie com os irmãos, amigos e os colegas de escola?

34. Quanto à sua vida profissional, em quantos e em que hospitais trabalhou?

35. Qual a sua especialidade médica?

36. Trabalhava por turnos, em urgências ou noutros serviços?

37. Trabalhava diariamente?

38. Deixou de trabalhar a determinada altura? Porquê?

39. Os filhos gémeos têm dificuldade em adormecer, são irrequietos e isso provoca-lhe intranquilidade?

40. É verdade que em certos momentos se sentia desesperada pela atitude dos filhos e que isso a deixava muito intranquila?

41. É verdade que em Inglaterra chegou a pensar entregar a guarda de Madeleine a um familiar?

42. Em Inglaterra, dava medicação aos filhos? Que tipo de medicação?

43. No auto foram-lhe exibidos filmes de inspeção cinotécnica, com carácter forense, onde se pode observar a marcação por parte destes relativamente a indicações de odor a cadáver humano e vestígios hemáticos também humanos e somente de carácter humano, bem como todos os comentários do perito responsável. Terminada a visualização, e após sinalização de odor de cadáver no seu quarto junto ao armário e por detrás do sofá encostado à janela da sala de estar, disse que não podia explicar nada mais do que já referira?

44. Também assinalado, pelo cão de deteção, sobre o sangue humano por detrás do sofá, disse que não podia explicar nada mais do que já referira?

45. Assinalado o odor de cadáver proveniente do carro que alugaram um mês depois do desaparecimento, disse que não podia explicar nada mais do que já tinha referido?

46. Assinalado o sangue humano na mala do veículo disse que não podia explicar nada mais do que já referira?

47. Confrontada com o resultado da recolha de ADN de Maddie, cuja análise foi efetuada por um laboratório britânico, atrás do sofá e do porta bagagens do veículo, disse que não pode explicar nada mais do que já referira?

48. Teve alguma responsabilidade ou intervenção no desaparecimento da filha?

O argumento utilizado por Kate McCann para justificar o silêncio relacionado com o facto de ter sido, naquele momento, constituída arguida do caso, depois de ter sido encontrado sangue atrás de um sofá, numa bota e fechaduras alteradas. Mais tarde veio também dizer que decidiu não cooperar com receio que as respostas distraíssem as autoridades na busca pelo verdadeiro culpado.

Maddie McCann desapareceu em 2007 do apartamento em que dormia com os irmãos gémeos na Praia da Luz, Algarve, enquanto os pais se encontravam a jantar com amigos no Tapas, parte do aldeamento Ocean Club, aquele em que ficava a casa onde estavam alojados, a cerca de 60 metros do restaurante.

Várias pessoas testemunharam que viram um homem que, durante a noite, andava no aldeamento com uma criança loira ao colo. O caso foi dos mais mediático e longos dos últimos anos, tendo custado mais de 12 milhões de euros.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]