Investigação da causa de morte refere que Keith Flint se enforcou em casa

"Sempre tive esta coisa dentro de mim que, quando estiver pronto, vou-me matar", disse o cantor numa entrevista em 2015.

Keith Flint já tinha lutado contra uma depressão e o vício do álcool e das drogas

Getty Images

Na passada segunda-feira, 4 de março, Keith Flint, o vocalista dos ingleses The Prodigy, banda de música punk e eletrónica, suicidou-se na sua mansão, no estado de Essex, Reino Unido. Agora, segundo o jornal britânico “Daily Mail”, o resultado da investigação da causa de morte — que saiu esta segunda-feira, 11 de março — revelou que o cantor de 49 anos se enforcou.

“Foi realizada uma autópsia a 6 de março de 2019 no Hospital Broomfield pelo doutor Lower, que atribuiu como causa provisória a morte por enforcamento, que está sob investigação enquanto aguardamos a toxicologia“, referiu a assistente do médico legista Lynsey Chaffe, no tribunal. O resultado completo será conhecido até 23 de julho.

O relatório de toxicologia vai permitir verificar os efeitos adversos de substâncias químicas sobre o organismo.

De acordo com o “Daily Mail”, o vocalista dos The Prodigy tinha regressado recentemente de uma tourné pela Austrália e foi fotografado pela última vez num bar, em Chelmsford, a 2 de março.

Keith Flint já tinha lutado contra a depressão, o álcool e as drogas. “Sempre tive esta coisa dentro de mim que, quando estiver pronto, vou-me matar“, disse o cantor numa entrevista em 2015.

De acordo com o mesmo jornal, era comum os vizinhos verem o cantor e bailarino a caminhar com os cães, algo que não aconteceu nos dias que antecederam à sua morte. “Ele era amigável, muito simpático. Levantava sempre a mão e dizia ‘olá'”, afirmou Jane Addison.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]