Crítica. Gonçalo Peixoto desenha outono/inverno em tons de cor de laranja e roxo

Não são cores óbvias ou fáceis de gostar, mas ainda assim fizeram-nos querer usá-las e esquecer o habitual preto e branco.

O cor de laranja néon surpreendeu os convidados que assistiam ao desfile

As luzes apagaram-se e a instalação que se encontra no meio da passerelle ilumina-se de cor de laranja, a mesma cor que Gonçalo Peixoto escolheu para o próximo outono/inverno. E ainda que o cor de laranja não seja a mais óbvia para os dias mais frios, principalmente o néon, as peças conquistaram-nos de imediato.

Fatos oversized, padrão xadrez, folhos e tule combinados com peças desportivas, malhas, casacos puffer, ombros XXL, flores em veludo, padrão crocodilo e camisolas de capuz foram os principais elementos desta coleção que mistura o feminino e elegante com o sportswear. “It’s all coming back to me now” foi o nome escolhido pelo designer para esta coleção que se assume como uma reinterpretação dos clássicos eternos.

O cor de laranja foi a primeira cor a desfilar, mas houve outra que teve quase tanto destaque: o roxo. Seguiu-se o verde e uma mistura de cores e padrões florais suaves perfeitos para quem quer cortar o look monocromático.

O capuz foi o que marcou esta coleção. Em camisolas e até em blazers, o capuz traz o lado mais casual e de streetstyle aos looks. Até porque a mulher de Gonçalo Peixoto é moderna, descontraída, mas com muita pinta. E foi exatamente essa descontração combinada com peças que podiam ser de alta costura, que nos fizeram ficar rendidas a esta coleção. Se Gonçalo Peixoto quer um outono/inverno colorido, vai ter.

Texto de Fabíola Carlettis, fotografia de joaomartins.
Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]