É com o intuito de “desdramatizar a questão da falta de visão” que Ricardo Teixeira, 36 anos, idealizou e escreveu “Choque Frontal: Um Tutorial Sobre a Cegueira”, um espetáculo de stand-up protagonizado por quem não vê. Depois de várias datas em outubro, o espetáculo volta a estar em cena em Lisboa.

Apesar de ser uma peça de humor, a verdade é que assume também o formato de palestra. É assim que Ricardo, cego desde os 18 anos devido a um acidente, procura consciencializar e dar sugestões de como agir perante uma pessoa cega — apontando erros comuns e brincando com situações caricatas que vão acontecendo na sua vida.

À MAGG, Ricardo, que trabalha como osteopata, diz que o principal objetivo da peça passa não só por evidenciar as dificuldades com que uma pessoa cega tem de lidar diariamente, mas também por mostrar que a condição “não é o monstro que toda a gente pensa que é.”

Entrevista a um comediante cego. “Não ver é uma questão séria, tudo bem. Mas é só isso”

Para isso, o humorista faz uso de vários momentos do seu espetáculo para interagir com o público e até chamar membros da plateia ao palco.

“Em momentos específicos chamo pessoas para demonstrar algumas situações que se passam todos os dias com quase todas as pessoas que não veem. Pergunto-lhes o que fariam ou como ajudariam naquela situação, mostrando sempre quais as formas corretas”, revela.

Apesar de considerar que é um tema desconfortável, que tenta desmistificar e desconstruir através do humor, Ricardo garante que a reação das pessoas com quem vai lidando espetáculo após espetáculo tem sido muito positiva.

“Há pessoas que vêm ter comigo no fim das atuações e me dizem que nunca tinham pensado no assunto daquela forma ou que achavam que eu tinha um modo de vida mais complicado.”

Entrevista. “Ter um cancro é melhor do que ter Alzheimer”

Mas o espetáculo nunca se limita a momentos individualistas em que o protagonismo recai apenas sobre o humorista. Segundo explica o humorista, há sempre espaço para que alguém do público possa fazer perguntas e expor as suas dúvidas sobre como é viver com cegueira.

“Além do que digo e do que demonstro, pergunto várias coisas ao público que vão surgindo no decorrer do espetáculo e tento que se sintam à vontade para fazer perguntas ou expor dúvidas. Também deixo que brinquem sem medos”, explica.

“Choque Frontal: Um Tutorial Sobre a Cegueira” vai estar em cena a 27 de abril, às 21h30, e a 28 de abril, às 17h00, na Casa do Coreto, em Lisboa. Os bilhetes custam 7,50€ e já podem ser comprados na bilheteira ou reservados através do 211 548 979.