Crítica. Carolina Machado lança coleção “Nightshift” com padrões psicadélicos

A designer trocou os tons terra pelos pretos, verde néon e azul. Mas, para nós, era ao território dos nude e terracotta que devia voltar.

Os conjuntos mais repetidos foram os de preto ou branco total com apontamentos verde néon

Em outubro de 2015, Carolina Machado, designer de moda natural de Leiria, estreou-se no Sangue Novo da ModaLisboa, plataforma que deu a conhecer o seu trabalho e que fez com que no ano seguinte lançasse a sua marca própria de mulher.

Carolina Machado, que desde 2017 faz parte da outra plataforma do evento, a LAB, apresentou esta sexta-feira, 8 de março, as suas propostas para outono/inverno 2019/2020. “Nightshift” é o nome desta coleção, composta por 17 conjuntos, que combina os estilo noctívagos de hoje com o dos anos 90. 17 propostas que, mesmo não sendo as melhores do dia, nos fizeram sentir que soube a pouco.

Uma linha onde o preto, o verde néon, o azul e o branco predominam, em tecidos e materiais como cetim, sarja, lantejoulas e vinil. Também o tie dye, uma tendência que volta esta primavera/verão, faz parte da nova coleção da designer, que o combina com outros padrões como o xadrez. Esta mistura não resultou e fez-nos ver que realmente já não há regras na moda, mas que neste caso, devia haver. As penas, o néon e o vinil foram o ponto alto da coleção. Já o xadrez e as peças em cetim foram as menos bem conseguidas.

Depois de uma coleção de primavera/verão em que os tons terra se destacaram, Carolina Machado aposta agora em cores e padrões mais psicadélicos e arrojados que são, como o próprio nome diz, adequados para usar, por exemplo, numa saída à noite. E ainda que estas propostas possam ser mais rapidamente associadas às estações para as quais foram feitas, é no território mais neutro, como o das coleções passadas, que Carolina Machado mais nos conquista.

Texto de Fabíola Carlettis, fotografia de joaomartins.
Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]