Ainda sem saber que o futuro os iria juntar numa cozinha, foi à volta da comida que se conheceram. Há cinco anos, João Luc trabalhava na Cozinha da Felicidade, restaurante do Mercado da Timeout, no qual Catarina Terenas trabalhava na área da gestão.

João continuou em cozinhas — trabalhou até com Henrique Sá Pessoa — e Catarina, ainda na área da gestão, cultivava o gosto de receber pessoas. Faltava apenas um sítio que este casal pudesse chamar de casa, ainda que aberto a toda a cidade.

Miolo

Mostrar Esconder

Morada: Rua Luz Soriano, 50, Lisboa
Horário: 9h-17h (fecha à segunda-feira)

“Encontrámos este cantinho no Bairro Alto e a Miolo é agora a nossa casa”, explica à MAGG Catarina que, ainda que não seja da área da cozinha, sabia bem aquilo que queria ver sair de uma que fosse sua.

O pão da Miolo é de fermentação natural e vem da Gleba

“Servimos o melhor de Lisboa no pão”, esclarece. A ideia aqui é fazer da Miolo um espaço com sandes feitas com pão de qualidade e recheios que falem português. É por isso que da lista de sandes constam receitas como pão chapata com queijo da Serra amanteigado, presunto e tomate seco (6€), pão de forma com sardinha em conserva, maionese de manjericão, tomate, espinafres, mostarda e mel (7€), pão chapata com paio de cachaço de porco preto, ameixa seca e espinafres (6€) ou Pão de hambúrguer brioche com bochecha de porco estufada a baixa temperatura em Vinho do Porto, cebola roxa caramelizada e toucinho crocante (7,50€).

Para pão de qualidade, fuja dos supermercados

Todas as receitas são da autoria de João e é por isso que Catarina gosta de dizer que aqui se servem “sandes de autor”. Na versão de sandes aberta, destacamos a receita de pão de trigo alentejano com queijo mascarpone, pera rocha do Oeste, morangos, amêndoa e mel (4,50€), pão de trigo alentejano com queijo de cabra, alecrim, mel e rebentos de beterraba (5€) e o pão de batata doce com abacate, tomate cereja, cebola roxa, ovo, crocante e bacon e cebolinho (6,50€).

As frutas e legumes são comprados no mercado da Ribeira, a carne vem de um talho no Bairro Alto e o pão chega todo da Gleba, uma padaria que aposta na produção de pão feita com cereais portugueses e com fermentação natural. Algumas das variedades do pão servida na Miolo são feitos pela Gleba especialmente para o restaurante. É o caso do pão de hambúrguer brioche e o pão chapata, “super estaladiço”, garante Catarina.

Há sempre um bolo caseiro disponível. Cada fatia custa 3€

Ainda que tenham quatro lugares ao balcão, a ideia do restaurante é ser essencialmente para take away, “mas um take away de qualidade”, salienta Catarina. Isso nota-se no cuidado com os ingredientes escolhidos, mas também com a forma como a comida é embalada. “Na Miolo não há plástico, de todo. As embalagens são de cartão e as garrafas de sumo são de vidro”.