Espanha é o país mais saudável do mundo — Portugal está em 22.º lugar

O ranking é da Bloomberg e analisa 169 países. No Top 10 estão outros quatro países europeus: Islândia, Suíça, Suécia e Noruega.

Os hábitos alimentares da dieta mediterrânica e o acesso a cuidados médicos ajudam a justificar os lugares cimeiros de Espanha e Itália

Vamos ignorar o chuletón que mal cabe no prato, os churros fritos com chocolate, o jamon e as croquetas. Espanha é considerado o país mais saudável do mundo e é a Bloomberg que o diz.

Para este resultado, Espanha conseguiu 92,7 pontos (em cem) no ranking Bloomberg Healthiest Country para 2019, que reúne variáveis como a esperança média de vida, os hábitos alimentares, o acesso a cuidados médicos e os níveis de consumo de álcool e tabaco. Já para encontrar Portugal na lista, temos que descer até ao número 22.

Em relação a dados de 2017, os últimos disponíveis, Espanha sobe seis lugares e põe de lado a supremacia de Itália que, este ano, passa para segundo lugar.

Ainda no Top 10 estão outros quatro países europeus: Islândia, Suíça, Suécia e Noruega. O Japão chega em primeiro lugar da lista dos países asiáticos e, a fechar os dez primeiros lugares, está ainda a Austrália e Israel.

A esperança média de vida parece ter sido o ponto fulcral para que Espanha seja agora considerado o mais saudável dos países. É o pais na União Europeia onde se vive mais tempo e só fica atrás do Japão e da Suíça a nível mundial. De acordo com Observatório Europeu de Sistemas e Políticas de Saúde, espera-se que Espanha chegue a 2040 com uma esperança média de vida de 86 anos (atualmente é de 85,8).

Nesta lista, Portugal não está numa má posição. É, aliás, segundo um artigo publico na revista “Lancet“, o quinto país com a maior esperança média de vida do mundo (81 anos).

No entanto, o conjunto de outros fatores, principalmente ligados ao acesso à saúde, justificam a posição cimeira de Espanha. “A assistência médica é essencialmente pública, feita por médicos de família e enfermeiros especializados, que prestam serviços preventivos a crianças, mulheres e idosos”, pode ler-se no documento lançado pelo Observatório.

Também a dieta mediterrânica ajuda a explicar a liderança de Espanha, muito graças ao consumo de azeite e de frutos secos. “Há um menor índice de acidentes cardiovasculares do que no resto dos países em que é seguida uma dieta pobre em gorduras”, segundo um estudo conduzido Universidade de Navarra e citado pela agência norte-americana.

A Bloomberg, numa análise aos resultados, faz questão de salientar a diferença de cinco posições entre Cuba — a liderar — e os Estados Unidos. A agência justifica o resultado com a aposta de Cuba na prevenção em detrimento do diagnóstico e do tratamento. Nesta lista, Cuba é o país com melhor pontuação daqueles que ficam fora da lista do Banco Mundial de países com alto nível de desenvolvimento económico e social.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]