Burberry pede desculpa por camisola que remete ao suicídio e retira da coleção

Foi apresentada na London Fashion Week e denunciada por uma modelo. A semelhança a uma forca levou a marca a emitir um pedido de desculpas.

A denúncia foi feita pela modelo Liz Kennedy que participou no desfile

A London Fashion Week terminou esta terça-feira, 19 de fevereiro, depois de vários desfiles de apresentação da coleção de outono/inverno de 2019. A marca britânica Burberry é sempre uma das mais esperadas nesta semana de moda, ainda que desta vez tenha ficado marcada pela negativa.

Não porque a coleção “Tempest” criada por Riccardo Tisci não tivesse qualidade, mas porque houve uma peça específica que fez com que a marca tivesse que emitir um pedido de desculpas e alterar a linha que já tinha apresentado.

Foi uma camisola com uma corda e um nó que levou a modelo Liz Kennedy a partilhar na sua página de Instagram o que pensava sobre a peça. “Suicídio não é moda. Não é glamoroso ou vanguardista, principalmente tendo em conta que este desfile é dedicado à juventude e à expressão das suas vozes. Ultrapassa-me como é que Riccardo Tisci e a Burberry puderam criar uma camisola com uma corda ao pescoço, que parece uma forca. Tenho vergonha de ter feito parte deste desfile.”

O designer afirma que esta corda era apenas uma inspiração náutica

Esta publicação gerou mais de 1300 comentários de pessoas igualmente revoltadas com esta camisola da Burberry, que entretanto já foi retirada da coleção, depois de Marco Gobbetti, CEO da FTSE, ter emitido um comunicado em que diziam lamentar o sucedido.

Riccardo Tisci, diretor criativo da marca, também já falou sobre o tema e justificou que o design foi inspirado na tendência náutica e que a suposta semelhança a uma forca não foi intencional.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]