Todas as relações são únicas. Importa começar por aqui porque as generalizações são perigosas, sobretudo no campo do amor. As regras são delineadas por cada casal, e o que serve para uns pode não servir para outros — podemos referir o swing, claro, mas também os ex-namorados. Se para uns é normal manter contacto, para outros é simplesmente impensável.

“Neste sentido, definir quais são os limites da infidelidade emocional, ou mesmo física/sexual, é algoe que compete apenas aos membros da relação”, explica à MAGG a psicoterapeuta Sara Ferreira.

Ainda assim, podemos dizer que estamos perante uma infidelidade emocional quando um membro do casal quebra um conjunto de “regras”, sejam elas quais forem. De repente, depara-se com a vontade ou necessidade de fazer escolhas diferentes, mantendo-as em segredo.

“Quando assim é, podemos dizer que é bastante provável que haja infidelidade emocional – mesmo que a própria pessoa não tenha consciência disso.”

Na grande maioria dos casos extra-conjugais, onde há sexo envolvido, a traição começa com a infidelidade emocional. Alguns evoluem rapidamente para a infidelidade sexual, outros permanecem emocionais por algum tempo. Seja como for, existem sinais mais frequentes que indiciam claramente a ocorrência de infidelidade emocional num relacionamento amoroso.

Com base na experiência clínica de mais de dez anos da psicoterapeuta, Sara Ferreira apresenta-lhe 8 sinais de que está a ser emocionalmente infiel.

6 sinais de que precisa de ficar solteira por uns tempos

1. Está sempre a reclamar do seu parceiro

“Este sinal acontece em quase 100% das situações. É frequente as pessoas abrirem-se em relação aos problemas conjugais a essa outra pessoa, sem que o parceiro sequer saiba disso — ou sem que isso tenha sido abordado diretamente com o parceiro da relação”, explica a psicóloga. “Por um lado, existe um gasto de energia emocional com essa outra pessoa, em que compartilha tudo com ela”.

2. Outra pessoa tornou-se o seu “go-to”

Isto significa que a pessoa fora da relação tornou-se no alvo do seu investimento emocional. “Passa a ocupar um grande espaço mental, lembrando-se dela muitas vezes durante o dia (em especial, quando acorda ou quando se vai deitar).”

3. “Para tudo” para fazer coisas para essa pessoa

Às vezes pode até criar pretextos para ser “útil” ou “agradável” a essa outra pessoa, mostrando-lhe dessa forma que é especial para si. Na verdade, está à espera de uma retribuição, mesmo que não queira admitir. “Neste ponto, valia apenas ainda acrescentar: ‘Cancela qualquer outro compromisso se a oportunidade de estar com ele aparecer’.”

4. Fica na defensiva

Tudo o que parceiro diz é visto como um ataque.

5. Parece distante ou desapegada

Quando começa a investir emocionalmente noutra pessoa, é provável que o seu parceiro se aperceba — e interprete o seu comportamento como distante ou desapegado.

6. Os seus hábitos de tecnologia mudaram

“Frequentemente, os sinais mais claros dentro deste ponto são quando um dos membros mantém em segredo o tempo gasto com essa outra pessoa, seja enviando emails, ligando, mandando SMS, conversando através do Facebook, etc.”. Ter necessidade de apagar as mensagens trocadas ou registos telefónicos também é um sinal de alerta.

7. Mantém conversas cujo conteúdo o seu parceiro jamais poderia conhecer

“Ou seja, quando a pessoa dá por si a pensar algo como: ‘Ainda bem que ele não está aqui para ler isto’ ou ‘Ainda bem que ele não sabe disto’, significando isso que estas conversas não são assim tão ‘inocentes’ como a pessoa provavelmente acredita ou quer fazer o outro acreditar.”

Como saber se está na altura de terminar uma relação

Perante este sinal, é muito provável que esteja a “flirtar” com a outra pessoa, mesmo que ainda não o tenha assumido perante si própria. “Se houver segredo, e sobretudo se houver um esforço consciente para manter segredo, é porque a própria pessoa não está confortável com os sentimentos associados àquela situação.”

8. Tenta encontrar oportunidades para se encontrar com a outra pessoa sem que o seu parceiro esteja presente

Não tem nada a ver com o facto casual dessa pessoa se cruzar no seu caminho. “Aqui refiro-me a outro tipo de situações – completamente diferentes – em que a pessoa começa a estruturar a sua agenda de maneira a conseguir encontrar-se/cruzar-se propositadamente com aquela outra pessoa. Este entusiasmo geralmente é um sinal claro de que esta outra pessoa pode ser muito mais do que um ‘simples amigo’, mesmo que não dê conta.”