Sem barbas, já se sabe quem é o homem que está a processar os pais por ter nascido

Tem 27 anos, é indiano e levantou um processo contra os pais por ter vindo ao mundo sem dar o seu consentimento.

Rahael é apologista do antinatalismo

Raphael Samuel. É este o nome do indiano de 27 anos que vai processar os pais por ter nascido sem dar o seu consentimento. Rahael é defensor do antinatalismo, um movimento que está a ganhar força na Índia, em particular entre os jovens, e acredita que os progenitores merecem ser penalizados judicialmente por o terem feito nascer.

A história correu o mundo, mas até agora ninguém sabia ao certo quem era este homem — nas redes sociais, Raphael aparecia sempre com uma barba falsa, que lhe tapava a identidade. Agora já se sabe quem é. Segundo o “Daily Mail“, foi divulgada a primeira imagem de Samuel sem a barba falsa que se tornou na sua imagem de marca.

Em entrevista ao “The Print“, Raphael Samuel disse: “A minha vida tem sido fantástica, mas não vejo porque é que tenho de pôr outra vida a passar pela confusão da escola e de encontrar uma carreira, especialmente quando eles não pediram para existir.”

O indiano gere uma página de Facebook, Nihilanand, onde defende o antinatalismo. Para quem segue este movimento, o mundo é um lugar terrível. A solução? Parar de procriar: “Não há razão para a humanidade. Tantas pessoas a sofrer. Se a humanidade fosse extinta, a Terra e os animais ficariam felizes”, escreveu Raphael.

Com 3.842 seguidores, na página podem ver-se memes com frases como: “Se os pais realmente sabem o que é bom para os seus filhos, porque é que os tiveram?” e “A única razão para que os vossos filhos estejam a enfrentar problemas é porque vocês os tiveram.” Além disso, publica vídeos onde incentiva os jovens a não obedecerem aos pais e defende que a infertilidade é sexy.

Em entrevista à BBC, o indiano explicou que tudo começou quando tinha 5 anos. “Eu era um miúdo normal”, disse à estação de televisão britânica. “Um dia, estava muito frustrado e não queria ir para a escola, mas os meus pais pediram-me para ir. Então eu perguntei: ‘Porque é que me tiveram?’. O meu pai não respondeu. Acho que se ele tivesse sido capaz de responder talvez eu não pensasse assim.”

“Eu tenho de admirar a ousadia do meu filho por querer levar os pais a tribunal, sabendo que os dois são advogados”, disse em comunicado a mãe, Kavita Karnad Samuel. “Se o Raphael conseguisse uma explicação racional de como teria sido possível obter o seu consentimento antes de ter nascido, eu aceitaria a minha falha.”

O anúncio feito em casa de que levaria os pais a tribunal aconteceu há seis meses, conta a BBC. “A minha mãe disse que estava tudo bem, mas que não esperasse facilidades. ‘Vou destruir-te em tribunal’”, disse-lhe. O argumento está preparado — mas o que falta a Samuel é um advogado que aceite o caso.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]