“Representante das prostitutas”. Foi esta uma das críticas feita à deputada brasileira Ana Paula da Silva, do Patrido Democrático Trabalhista. Paulinha, como é conhecida, está a ser fortemente criticada nas redes sociais e no Brasil pela escolha do outfit que usou na sua tomada de posse. Até porque era um momento histórico para as mulheres de Santa Catarina, unidade federativa no centro da região sul do Brasil, que nunca tiveram um número tão grande de representantes na Assembleia Legislativa — ainda que sejam apenas cinco.

Um macacão vermelho foi a escolha da deputada. O problema? O decote. Nas redes sociais, a ex-prefeita de Bombinhas partilhou uma fotografia onde dizia que chegou o momento de “trabalhar”, no entanto a maioria das pessoas reparou apenas no tamanho do decote.

“À espera que a deputada mostre a capacidade sem tirar a roupa”, lê-se num comentário. Há também quem se questione se ela não será a “representante das prostitutas”, enquanto outra utilizadora do Instagram comenta: “É melhor trabalhar pelada”. Perante isto, Paulinha já fez saber que vai agir judicialmente contra os comentários ofensivos, que chegaram a mencionar violação.

Em entrevista à NCS, Ana Paula Silva disse que “a participação das mulheres na política é tão minúscula, somos tão poucas, por isso causamos essa reação. Mulheres se vestem de todas as maneiras, só que não estão representadas no poder”, acrescentando que sempre usou roupa justa, sapatos altos e decotes. 

Paulinha acrescentou ainda que a escolha do macacão não foi “exatamente um protesto, mas uma forma de dizer que sou mulher e que represento muitas, todas, e temos liberdade e independência sobre nossas escolhas.”