Pode parecer estranho, mas esta não é a primeira vez que se afundam aviões comerciais com o intuito de os transformar em parques aquáticos. O primeiro exemplo remonta a 1990, nos Estados Unidos; o segundo a 2016, no Canadá; o terceiro em 2016, na Turquia. Agora é a vez de o Bahrain, no Médio Oriente, afundar um Boeing 747.

Segundo escreve a “CNN”, a ideia da construção deste novo parque aquático, que vai ocupar cerca de 100 mil metros quadrados no oceano, tem como objetivo atrair mais turismo para a região.

A peça principal da nova atração turística é um avião de 70 metros que, garantem os promotores do projeto, foi descomissionado e especialmente preparado com novos materiais para que resista às condições subaquáticas a que vai estar sujeito.

Depois do glamping, a nova moda agora é o sea glamping

“Toda a superfície do avião vai ser sujeita a uma limpeza de alta pressão com detergentes ecológicos para garantir que todos os vestígios de óleo e outros resíduos são eliminados. Além disso, grande parte deste processo foi dedicado a limpar todos os agentes contaminantes do avião, como plásticos, borrachas e sistemas hidráulicos”, revelou um os responsáveis pelo projeto.

Além do avião, vai também fazer parte deste novo parque uma réplica de uma casa de comerciantes de pérolas preciosas do Bahrain, esculturas de arte de grande dimensão e recifes corais artificiais.

Apesar de ainda não haver uma data de abertura definida, os responsáveis pela promoção esperam ter tudo operacional já neste verão e estará aberto a todo o tipo de visitantes — dos curiosos aos exploradores mais radicais.