Rapper 21 Savage foi detido nos Estados Unidos e pode ser deportado

O músico nomeado para dois Grammys tem cidadania britânica e é acusado de estar ilegalmente nos EUA.

Rapper está nomeado para dois Grammys

Está nomeado para dois Grammys, mas as coisas não podiam estar mais complicadas para o rapper. 21 Savage encontra-se sob detenção dos serviços de imigração dos Estados Unidos, segundo confirmaram as autoridades de Atlanta. Este domingo, 3 de fevereiro, o músico foi detido por estar numa situação ilegal no país. Enfrenta agora risco de deportação.

Ao que tudo indica, Sha Yaa Bin Abraham-Joseph, nome real do artista, é um cidadão britânico que entrou legalmente nos EUA em julho de 2005, mas deixou o visto caducar em julho de 2006. 

A notícia deixou os fãs surpreendidos, que sempre assumiram que o rapper era de Atlanta. Não fazia sentido que fosse de outra maneira: este sempre falou publicamente sobre a sua dura infância na cidade. Abraham-Joseph tinha um “compromisso em contar as histórias da vida na Zona 6 de Atlanta”, escreveu a “Billboard” no mês passado. Segundo a CNN, o rapper chegou mesmo a dizer que o “21” do seu nome se referia a uma gangue de rua em Decatur.

No momento da detenção, a sua página na Wikipédia dizia que tinha nascido em Atlanta em 1992, citando como fonte o “The Washington Post”. Neste momento diz London Borough of Newham, no Reino Unido, seguido de um “alegadamente”.

O porta-voz do Departamento de Imigração e Alfândegas dos EUA, Bryan Cox, disse que Abraham-Joseph já foi condenado por crimes relacionados com droga na Geórgia, em outubro de 2014.

Bryan Cox confirmou ainda que 21 Savage foi colocado num processo de deportação no tribunal federal de imigração.

O artista de 26 anos apareceu pela primeira vez no universo do rap em 2015 e, desde então, conseguiu alcançar o sucesso um pouco por todo o mundo. Em dezembro, conseguiu o primeiro número 1 no Top da Billboard com o último álbum, “Eu Sou Maior do Que Eu”.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]