A sexta-feira de 30 de janeiro de 1969 tinha tudo para ser mais um frio e chuvoso dia em Londres. No entanto, por volta da hora de almoço, os The Beatles começam a dar um concerto surpresa em cima do telhado da Apple Records, a sua editora discográfica. Ao longo de 42 minutos, a banda de Liverpool tocou “Get Back”, “Don’t Let Me Down”, “I’ve Got a Feeling”, “One After 909” e “Dig a Pony”, acompanhados pelo pianista Bill Preston.

Este acabaria por ser o último concerto da banda, antes de se separarem no ano seguinte.

À medida que a banda ia tocando, várias pessoas juntaram-se na rua e nas janelas da Savile Row para ouvir uma das maiores bandas da época a tocar ao vivo.

“Um dos trabalhadores da Apple Records chegou por volta dessa hora, mas não sabia que ia haver este concerto no telhado”, disse Ken Mansfield, manager norte-americano da editora, à revista norte-americana “Rolling Stone“. “Ele viu toda esta gente [na rua] e o trânsito estava a ficar parado. (…)  Os empresários estavam bastante irritados pois não gostavam deste tipo de coisas”. O concerto acabou por ser interrompido pela polícia local, que pediu para que baixassem o volume.

Nesta altura, a banda estava em estúdio a gravar o álbum “Let it Be” que, por causa de alguns atrasos, foi lançado em 1970. O processo de criação e gravação estava a ser acompanhado pelo realizador Michael Lindsay-Hogg. No entanto, ficou no ar a ideia de que faltava alguma coisa para finalizar o documentário. Foi assim que surgiu, uns dias antes, a ideia de fazer um concerto surpresa no cimo do telhado da Apple Records durante a hora de almoço.

Parte das filmagens deste concerto foram incluídas no documentário de “Let it Be”, lançado em maio de 1970, que recebeu um Óscar de Melhor Canção Original para o tema com o mesmo nome.