Vivemos numa época em que o esteticamente feio faz parte da moda. O belo e a perfeição dão lugar a peças estranhas, simbólicas que, à sua maneira, se tornam tendência. Depois dos ugly sneakers e das ugly Christmas sweaters, aquelas camisolas feias de Natal, agora a tendência são os ugly dresses — os vestidos “feios”, portanto.

Em 2019 é esquecer os vestidos coleantes ou com uma silhueta mais delgada e definida — no novo ano tudo o que se quer é volume. Muito volume. Falamos, por isso, dos vestidos do estilo smock. No séc. XIX foram populares entre as crianças e agora são tendência entre as fashionistas. Para além de serem extremamente largos, os vestidos caracterizam-se por terem algum tipo de detalhe na zona do peito e ombros – folhos, rendas ou lacinhos são algumas das opções.

Tie Dye. Está de volta o padrão que passou dos hippies para as trendsetters

Não vamos mentir e dizer que é fácil de usar, pelo contrário, pode facilmente cair num look despropositado e sem elegância. A primeira coisa que deve ter em atenção é o comprimento do vestido, que se deve adequar à sua altura. Numa tentativa de não parecer tão baixa, talvez seja melhor escolher um comprimento mais curto. As mais altas devem usar e abusar no comprimento até ao tornozelo.

Para o styling, aconselhamos a máxima do “less is more”: poucos ou nenhuns acessórios, já que o vestido chama demasiado a atenção. Colares são para esquecer, devido à situação dos folhos, rendas ou lacinhos. Por isso a sua aposta deve ir para uns brincos. Deve optar por uns minimalistas se quiser um look mais simples, ou por uns statement para dar aquele fator “uau” ao seu coordenado. Temos sugestões dos 19,99€ até aos 2.590€.

16 fotos