Príncipe Filipe bate em carro que transporta bebé. Polícia pede às vítimas “discrição”

O marido de Isabel II, 97 anos, ia a conduzir um Land Rover sem cinto. Não pediu desculpa às passageiras do KIA, que se sentem ofendidas.

Menos de 24 horas depois, o marido de Isabel II foi visto a guiar um carro idêntico e novo

O príncipe Filipe, marido da rainha Isabel II de Inglaterra, esteve recentemente envolvido num acidente de carro. Na passada quinta-feira, 17 de janeiro, o Duque de Edimburgo, 97 anos, ia a guiar um Land Rover quando foi contra um automóvel da marca KIA. Neste seguia uma mãe, um bebé de 9 meses e outra mulher.

O acidente aconteceu perto de Sandringham, no condado de Nortfolk. De acordo com o que a mãe de Elie Townsend, professora de 28 anos, revelou ao “The Daily Mail”, a mulher ainda está muito “abalada”. Quer “passar tempo com o filho e o marido Shaun”, uma vez que “têm sorte por estarem vivos.”

No carro ia também Emma Fairweather, 46, que partiu o pulso no acidente. Em entrevista ao jornal inglês, disse que lamentava que o membro da família real — que ia sem cinto e que menos de 24 horas depois já tinha um carro novo — não tenha pedido desculpa pelo incidente.

“Tenho sorte por estar viva e ele ainda nem pediu desculpa. Foi uma experiência traumática e dolorosa e esperava mais da família real.”

Foi Mary Morisson, a dama de companhia da rainha, que, com três dias de atraso, contactou Emma Fairweather, tendo-lhe deixado uma mensagem de voz.

“Olá, estou a ligar da Sandringham House. Foi a rainha que me pediu para lhe telefonar e para lhe transmitir os mais calorosos votos após o acidente. Sua Majestade está ansiosa por saber como é que se encontra e espera que tudo esteja tão bem, quanto se pode esperar. Estamos todos a pensar em si. Vou tentar ligar mais tarde. Infelizmente, tenho de sair em breve, mas espero que se encontre bem. Muito obrigada, mesmo. Adeus.”

“É simpático que a rainha tenha pedido ao staff para me contactar e desejar as melhoras, mas ela não esteve envolvida no acidente”, reagiu Emma Fairweather. “Ainda estou bastante surpreendida que o Príncipe Filipe não tenha tido vontade de me contactar para saber como é que estou. A porta está completamente aberta, para o caso de ele querer.”

Polícia pede discrição mais de dez vezes

Segundo o “The Daily Mail”, a polícia pediu, “mais de dez vezes”, que Emma Fairweather mantivesse a discrição em relação ao acidente, de modo a que a história não fosse parar à imprensa. O mesmo jornal adianta que esta mulher é muito leal à coroa inglesa, mas que houve um ponto de viragem na história: na sexta-feira, 18 de janeiro, a família real emitiu um comunicado dizendo que já tinham sido trocadas mensagens de melhoras entre todas as partes. “Estavam a ser ditas coisas que não eram verdade.”

No KIA iam duas mulheres e um bebé de nove meses

O tablóide adianta que, de acordo com fontes dentro da realeza, no sábado, 19 de janeiro, membros que trabalham no gabinete da rainha, fizeram várias tentativas de contacto, mas sem sucesso. Foi no domingo que a mensagem chegou. “Uma mensagem de apoio foi enviada para o condutor e passageiro.”

O acidente parece ter acontecido depois de o Duque de Edimburgo ter ficado com a vista ofuscada por causa do sol. O carro blindado girou várias vezes, até ir parar à faixa de rodagem onde se encontrava o KIA, onde seguiam Emma Fairweather, a amiga Elie Townsend e o respetivo filho de nove meses.

“Não conseguia parar de gritar”, recorda Fairweather, que, pela altura em que carro parou, gritou para retirarem primeiro o bebé. A mesma mulher descreve como “repugnante” o facto de o duque de 97 anos ir a guiar sem cinto de segurança.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]