Mãe descobre que os filhos adotivos são irmãos biológicos

Um mês depois de adotar Grayson, Katie Paige tornou-se família de acolhimento de Hannah. O que ninguém sabia é que eram irmãos de sangue.

Katie Paige apercebeu-se de imediato das semelhanças entre as crianças

Katie Page era uma mulher divorciada, sem filhos, que vivia na cidade de Parker, no estado do Colorado, quando adotou um menino — a 2 de maio de 2017 tornou-se mãe de Grayson, de 2 anos. Um mês depois, recebeu um telefonema da agência de adoção: havia uma bebé a precisar de uma família de acolhimento. Katie Paige aceitou de imediato e recebeu Hannah, 1 ano, em casa.

Não demorou muito até a norte-americana na casa dos 30 anos aperceber-se que os dois tinham muitas parecenças: “Eles tinham características muito similares. Ambos têm covinhas no queixo e outras semelhanças que só uma mãe se apercebe”, contou Katie Page à revista “People”.

A questão não lhe saía da mente. Poderiam ser irmão biológicos? A resposta chegou com um teste de ADN: sim. Os resultados apanharam de surpresa tanto a família como a agência de adoção: uma vez que a mãe biológica dos meninos aparecia com dois apelidos diferentes nos formulários, nunca ninguém pensou que pudessem ser a mesma pessoa.

Depois desta notícia, a adoção legal de Hannah tornou-se mais fácil. “Por serem irmãos, o processo acabou por ser mais rápido e simples”, relata Katie Paige à mesma revista. Hannah tornar-se-ia oficialmente sua filha em dezembro do ano passado.

Agora, os dois irmãos parecem felizes por se terem encontrado: “Eles estavam destinados a ficarem juntos, isso é certo. Deus quis assim desde o início”, refere a mãe das crianças. Além de já terem começado a andar, os dois brincam sem parar — Hannah gosta de explorar e Grayson adora a irmã. Vão juntos para todo o lado e a mais nova segue fielmente o irmão mais velho para onde quer que ele vá.

Em relação à história de vida das crianças, que parece ter saído de um livro, a mãe não tem dúvidas: um dia, eles vão saber de tudo.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]