Estamos habituados a ver Freddie Mercury em personagem, enérgico e explosivo, com o estilo arrojado que lhe é tão característico. Mas a vida seguia fora dos palcos.

Os bastidores da vida do vocalista dos Queen, que morreu a novembro de 1991, vítima do vírus do VIH, passavam por estar de viagem, de hotel em hotel, de avião em avião, de comboio em comboio, de camarote em camarote. Era também marcada por amigos, por momentos simples, em que desfrutava de um cigarro ou de um copo, sentado.

“Estava quase cego, demasiado fraco para se levantar”. Os últimos dias de Freddie Mercury, relatados por Elton John

É o que mostra este conjunto de fotografias raras, partilhadas pela edição francesa da “Vogue“, tiradas entre 1969 e 1987, ora em Tóquio, ora em Londres, Dinamarca ou Ibiza.

18 fotos