Quero mostrar-vos as dicas da minha nutricionista

É desta que vos apresento a minha nutricionista, Daniela Duarte. Tem-me ensinado muitos truques e eu quero partilhar tudo convosco.

Será que sabemos qual o tipo de alimentação mais apropriada para nós?

Agita Kalorias/Instagram

Fazer desporto não é apenas benéfico para o nosso físico, mas é também um elemento essencial à nossa saúde mental. Só que o verdadeiro equilíbrio no nosso corpo e na nossa mente começa com a alimentação. É esta que nos equilibra fisicamente, que controla as nossas hormonas, é a comida nos nossos pratos que comanda a nossa disposição. Afinal, quantas vezes já não ouviram alguém ao vosso lado dizer que se está triste, o melhor remédio é comer um chocolate?

Há cerca de dois anos comecei a ser acompanhada pela excelente Daniela Duarte, nutricionista que tem o blogue Agita Kalorias com respetiva página de facebook e instagram (espreitem… tem imensas receitas maravilhosas e bem simples). Tem sido graças a várias dicas da Daniela que comecei a descobrir que comer bem não é, de todo, difícil. Mas não me entendam mal. Quando vos digo comer bem, não estou a falar de dietas.
Já diz a Daniela, e com razão, “não chega apenas para um nutricionista saber qual o plano alimentar mais indicado, mas sim ter a capacidade de criar empatia, de motivar, para que a pessoa se sinta confiante com o profissional e consigo mesma”. Todos aprendemos diariamente e todos temos ainda muito para aprender, até porque o que é certo para o Manuel, pode ser totalmente errado para a Teresa”.

Ora, a pensar em vocês, gravámos uns vídeos com algumas receitas fáceis para snacks (de manhã ou de tarde), e esta altura é ideal para vos mostrar tudo o que tenho aprendido até agora, porque, verdade seja dita, começamos sempre o ano com uma força de vontade redobrada, certo? Portanto, nas próximas semanas, vou partilhar estes vídeos convosco para poderem aplicar no vosso regresso ao trabalho e à rotina.

A não esquecer para 2019: “Devemos eliminar com brevidade os alimentos processados do nosso plano alimentar” e, pelo contrário, a nossa despensa deve ter como presença assídua “os peixes gordos, a batata doce, os frutos secos, a aveia ou vegetais”.

“Costumo sempre dizer para as pessoas desconfiarem quando um produto dura anos no pacote. Tem sempre algum conservante adicionado para que a sua durabilidade seja maior”, esclareceu Daniela. É de evitar “alimentos com açúcares simples, como as bolachas, bolos e cereais de pequeno-almoço”. E, além disso, temos muitas outras alternativas para todos eles e com um sabor igual ou melhor.

Se ainda não é comum utilizarem nos vossos cozinhados, podem começar a inserir “as tâmaras, pois têm uma boa quantidade de fibra, ou o açúcar de coco”. Contudo, isto são mudanças difíceis. Por muita força de vontade que tenhamos, em nada nos ajuda querer mudar radicalmente. “É tudo uma questão de hábito”, logo, “a redução gradual do açúcar deve existir”. E, tal como vos tinha dito no início deste artigo, a nossa qualidade de vida depende daquilo que ingerimos. “Sabemos hoje, e com cada vez mais convicção, que as doenças cardiovasculares estão associadas aos nossos hábitos de vida: os alimentares, o stresse, poucas horas de sono e um elevado sedentarismo”. No fundo, tudo aquilo que a alimentação saudável nos traz “é evitar o sofrimento em vida”, garantiu Daniela.

Como em todas as outras áreas da minha vida, gosto de procurar a opinião de profissionais quando sei que tenho algo a aprender. E sei que vocês também vão ter de certeza. Principalmente se estão a pensar iniciar algum regime alimentar. E concordo a 100% com Daniela, quando ela me garante que qualquer dieta deve ser “equilibrada e feita com muita cautela, mas também com a ajuda de profissionais especializados”. Por exemplo, quem se quer tornar vegan, deve saber, entre outras coisas, “que quando se retira a proteína animal podem existir défices nutricionais que, muitas das vezes, precisam de suplementação”, ou que “se o consumo não estiver equilibrado, podem vir a sentir mais fome e recorrer, por isso, a mais hidratos de carbono”, quando, na realidade, “existem outras soluções para o aumento de apetite que não essa“.

Por todas estas razões já enumeradas, repito: durante as próximas semanas podem contar com vários vídeos recheados de dicas, receitas de deixar qualquer um com água na boca e truques que nos trazem mais alegria no dia-a-dia.

PS: Se estiverem atentos, vão reparar nos vídeos que ainda estamos bastante morenas. Confesso, já venho a pensar neste trabalho desde o final do verão. Espero que gostem tanto quanto eu gostei de preparar tudo.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]